Decoração

13 Dicas para bem aproveitar sua sala multiuso

janeiro 21, 2014

DECORAÇÃO

Passei parte da minha infância proibida de entrar na sala, não que houvesse algo de errado com ela ou comigo, mas a cultura de que sala não era lugar para crianças ainda vigorava no jeito de viver da família. Herança da geração anterior, a sala era destinada apenas para as visitas e deveria estar sempre intacta, limpíssima e arrumadézima!


Com os ambientes compartimentados sendo deixados para traz, a sala de estar também passou a dividir espaço e compartilhar usos. Hoje, o estar, jantar, TV, área de trabalho e até a cozinha são vizinhos sem paredes e mantém um bom relacionamento.

Essas mudanças comprovam o quanto a cultura e maneira de viver estão diretamente ligadas ao espaço construído. Hoje vou falar sobre uma área que mistura, por preferência ou necessidade, vida em família e vida social: a sala de estar multiuso. E assim, ajudar na missão de deixar sua casa mais bonita, funcional e organizada.

01- Para começar, faça uma lista das atividades que você e sua família precisam ou preferem desempenhar aí: 
- Assistir TV;
- Ouvir música;
- Jogar vídeo game;
- Trabalhar;
- Ler;
- Estudar;
- Reunir os amigos;
- Estar em família.


02- Também é importante relacionar tudo o que será armazenado neste espaço:
- CDs;
- DVDs;
- Livros;
- Jogo de vídeo game;
- Jogos de tabuleiro e / ou cartas (tem gente que curte juntar uma turma só para isso);
- Garrafas de bebida e copos;
- Material de trabalho;
- Livros;. 

Dica de organização e praticidade: Dê preferência por armazenar coisas aí que estejam diretamente relacionados ao uso do espaço.

Dica de profissa: 
- As atividades precisam ser setorizadas para não virar bagunça, mas também é legal manter uma unidade do todo, por isso é importante escolher um elemento (ou mais) para organizar visualmente e harmonizar todos os usos em um único espaço. A marcenaria é uma boa referência com que trabalhar. 
Aproveitando o assunto, vamos falar também sobre certos elementos que fazem parte deste ambiente.



03- Mesa de centro: Utilizada como apoio é a peça referência em volta da qual se distribuem os demais móveis de estar: sofás, poltronas, cadeiras e pufes.

Dica de profissa: 
- A proporção da mesa deve respeitar uma circulação mínima de 50 cm entre ela e o sofá e/ou poltronas ; 
- Se a sala for pensada para pessoas idosas, a mesa não deve ser baixa e sim, o mais próxima possível da altura do assento do sofá, cerca de 40 cm de altura;
- Para ambientes com perfil contemporâneo, a mesa tende a ser bem mais baixa, até 25 cm do piso;
- Se a sala tem espaço e um sofá grande, duas mesas retangulares lado a lado, juntas ou alguns centímetros distantes é boa pedida; 
- Um conjunto formado por uma mesa e duas banquetas, ou pufes também é boa ideia e foge do convencional;


Comentário: Veja que mesmo estreita a mesa central une os dois sofás diferentes. A cor mais escura no centro traz para a sala o tom do cantinho de refeições e a cor da madeira do sofá, faz o mesmo com o tom da cozinha. Como apoio, desempenha seu papel tão bem quanto como o de unir o que está ao redor.


02- Mesa lateral: Serve para apoio e fechamento. 

Dica de profissa: 
- Para um ambiente moderno evite o famoso “par de vasos”. Use peças diferentes no estilo, formato e até mesmo na cor; 
- Outra boa ideia são as mesas com rodízios. Podem ser encaixadas no sofá e mudar de lugar quando preciso e assim, assumir o multiuso do espaço como uma peça bonita e prática; Serve como apoio no dia a dia e para o laptop na hora de trabalhar ou surfar na internet; 
- Também é legal falar das mesas de alturas diferentes, embutidas umas nas outras. Em linhas retas são charmosas e super úteis em dias de festa. Espalhe-as para apoio de copos e petiscos;
- E por que não usar uma mesa de centro no lugar da mesa lateral? Se existe disposição de área para certas ousadias, ouse!


Comentário: Ambiente super leve. Cada mesa de uma cor, formato e altura e mesmo assim sem dissonância. Nesse caso, a mesa de madeira faz contato direto com as cadeiras também de madeira (mesmo não sendo do mesmo tom). A branca do outro lado paquera com a mesa de centro e com o móvel ao fundo... a conversa tem que fluir!


03- Aparador e Bufê: Geralmente com 90 cm de altura, são úteis para apoio durante as refeições ou reuniões especiais e necessário para armazenamento (o bufê).

Dica de profissa: 
- Podem ser utilizados de costas para o sofá e dividir ambientes, mas atenção à largura. O avesso do bufê precisa estar escondido pelo sofá;
- No caso do aparador, aproveitar seu espaço inferior com pufes garante mais lugares para o dia em que a galera está toda junta.


Comentário: O espaço de estar é definido pelo sofá disposto em “L” e fechado pela poltrona, que ao lado da lareira pontua um espaço para leitura e descanso. O aparador com nichos separa o ambiente e esconde as costas do sofá. Madeiras de cores diferentes eliminam a monotonia sem pesar.

04- Poltronas, bancos e pufes: bancos e pufes integram ambientes, pois não possuem encosto ou espaldar. Se tiver rodízios podem migrar para onde for necessário, inclusive para de baixo dos seus pés na hora de relaxar. As poltronas quando dispostas em ângulo de 30º acrescentam um “que” a mais no aconchego.

Dica de profissa: Você pode usar tecidos de destaque para estas peças, desde que o sofá seja neutro e sem estampas.


Comentário: Ambiente amplo sempre permite algumas ousadias. O uso principal deste espaço é o estar que ocupa a maior parte da área. Os pufes fazem o fechamento, mas ainda mantendo comunicação com o ambiente ao lado. A chaise-longue ao lado da estante facilita escolher a próxima leitura e a mesa de trabalho também fica bem locada com a mesma estante como apoio.

05- Mesa de trabalho: é importante que esteja sempre bem organizada, lugar para todos os apetrechos faz parte de um bom projeto para esse cantinho.

Dica de profissa: 
- Escolha uma cadeira confortável e estilosa para compor com o resto do ambiente;
- Respeite a proporção da mesa que se adapta ao espaço, uma mesa muito grande pode pesar e atrapalhar;
- Cuidado com os fios necessários para computador e telefone, se possível, preveja uma tomada e demais pontos no piso.


Comentário: A mesa de vidro garante um visual leve e tem luminária pendente que marca o espaço de trabalho. A cor fica por conta da estante multiuso com nichos vermelhos e brancos.

06- Sofá: se a sua sala é só de estar, opte por peças menos profundas e encosto baixo. Se é também para TV, sofás mais profundos e com braços largos são mais confortáveis. Apoios de pé e cabeça embutidos são bem vindos se você tiver espaço para abri-los.

Dica de profissa: 
- Escolha a peça com cuidado, pois é o móvel que mais chama a atenção. 
- Escolha tecidos confortáveis ao toque e resistentes. 
- Uma capa para facilitar a manutenção é legal se você tem criança, bichos de estimação ou gosta de variar. 
- Cuidado com a dimensão, deve comportar toda a família, mas não deve extrapolar o espaço disponível. Trena nas mãos.
- Algumas medidas padronizadas para a largura: 1,60m e 2,20m - respectivamente dois e três lugares. Lembre-se, estude bem o espaço disponível e não caia na tentação de comprar a famosa dupla de sofás de dois e três lugares sem ter certeza de que caberão.
- E para facilitar, na hora de adaptar um modelo de sofá em ambiente compacto, preste atenção nos braços. Eles podem variar de 10cm a 30cm e são centímetros valiosos!


Comentário: Cores neutras e tecidos nobres valorizam o sofá e o ambiente, que ganha mais requinte com o projeto de iluminação.

07- Tapetes: Há quem ame de paixão e há quem não goste nem com simpatia. Tapetes dão aconchego e demarcam espaços, mas precisam de cuidados. Mantê-los limpos é missão constante e diária e por isso, escolher o ideal para seu espaço, uso e praticidade é muito importante.

Dica de profissa:  
- Tapetes mais felpudos e aconchegantes para salas com TV. 
- Tapetes compactos e mais fáceis de manter para salas só de estar. 
- Os de fibra são fáceis de manter, mas não são confortáveis para quem curte o chão na hora da TV ou tem criança. 


Comentário: Um espaço íntimo, aconchegante, suave e alegre ao mesmo tempo. Tapete felpudo e confortável convida ao relax sem preocupações. 

08- Iluminação: Importante para dar o clima. Durante o dia o ideal é mesmo a luz natural e para a noite, soluções projetadas.

Dica de profissa:  
- Se o ambiente recebe muita luz natural, o fechamento pode ser mais pesado, com tecidos opacos sem transparência.
- Para quem gosta do escurinho do cinema, blecaute resolve. 
- Se a iluminação externa é suave, cortinas fluidas dão leveza ao ambiente.  
- Para a iluminação artificial é legal trabalhar com forro de gesso e luminárias em circuitos independentes para cada situação. 
- Indireta para a hora do filme - em canaleta com mangueira de led . 
- Embutida, distribuída uniformemente e com complementos que oferecem aconchego como abajures, pendentes e arandelas. 
- Dimers são uma boa para controlar a intensidade da luz, mas só funcionam com lâmpadas incandescentes. As fluorescentes não podem ser dimerizadas.


Comentário: Mesmo um ambiente clássico e requintado pode unir vários usos de maneira eficiente sem perder o glamour. Aqui o projeto de iluminação é essencialmente indireto, sem nenhum foco de ofuscamento, confortável para qualquer atividade, inclusive assistir TV.

09- Setorizar as funções é uma forma de organizar todas as atividades em um mesmo espaço.

Dica de profissa: Tapetes, iluminação e móveis estrategicamente locados definem usos e circulação.


Comentário: Neste ambiente os tapetes demarcam estar e jantar. O móvel alto separa ambos e a bancada da cozinha é área de trabalho e refeição. Um layout de linhas retas.

10- Atenção aos móveis e acessórios, manter harmonia é importante já que todos dividem o mesmo ambiente.  Se sua sala tem TV, móveis baixos não obstruem a visão e dão unidade ao espaço.

Dica de profissa: Cores neutras pontuadas com cores mais alegres é um casamento que sempre dá certo.


Comentário: Aqui as cores foram bem exploradas para setorizar e unir os espaços.

11- Circulação é como você se desloca no ambiente e é crucial para uma solução eficiente.

Dica de profissa: 
- Entulhar não é sinônimo de aconchego. Peças essenciais e bem escolhidas para cada uso é o segredo. 
- Aqui vale lembrar que as dimensões dos móveis é um cuidado a parte, um móvel maior ou menor que o ideal pode acabar com o seu sonho de sala bem resolvida.


Comentário: Neste ambiente o estar é sem TV, mas divide espaço com o jantar e uma lareira. Sofás confortáveis, cadeiras para fechamento e dois acentos extras para completar sem pesar.


12- Utilizar o mesmo piso cria uma unidade e ajuda a ampliar o ambiente.

Dica de profissa: Para ambientes não muito grandes, cores claras no piso e parede garantem a sensação de espaço.


Comentário: Ambiente leve, sem excessos e com móveis de pouco peso visual deixam o espaço com jeito de “aqui só tem o necessário”. 

13- Dica: Se a TV precisar ser locada entre dois ambientes como divisória, é possível projetar um móvel sob medida com acesso dos dois lados. Ou ser instalada em estrutura giratória entre piso e laje, o que dá um certo ar de modernidade .

Dica de profissa: Existem as telas de vidro para projetores, ainda um tanto dispendiosas, mas muito interessantes em soluções voltadas para tecnologia.


Comentário: Duas salas separadas e interligadas pelo móvel da TV que atende os dois ambientes de acordo com a necessidade. 

Seguindo o conceito de multiuso da sala, cuidado também na hora de comprar o aparelho de TV. Algumas regras básicas são importantes para não errar no investimento. 

Espero quê as dicas de hoje tenham ajudado você a explorar o que há de melhor em sua sala de estar multi-funções.  

O que você achou da postagem de hoje? Me conte nos comentários! 
Beijos, beijos!


Decoração

Decorando a sua cozinha com 7 estilos para escolher

janeiro 07, 2014

DECORAÇÃO

O estilo no visual é assunto de todos os dias. “Com que roupa eu vou” a frase mais comum no mundo feminino, mas quem disse que estilo é só questão de roupa? Sua casa, como sempre comento, tem que ter o seu perfil, seu estilo. Bobagem quem pensa que a cozinha é café com leite nesse departamento. Apesar de ser um ambiente de trabalho onde se desenvolvem atividades específicas, esteticamente também merece atenção, e hoje vamos falar sobre estilo em cozinhas para deixar sua casa ainda mais charmosa. 

Algumas referências ajudam a trilhar caminhos, como:

01-Clima: frio ou quente podem definir cores e materiais;
02-Localização: praia, campo, montanhas, metrópole, lugarejos. Cada qual com suas características. 
03-Tipo de uso: residencial, férias ou final de semana.
04-Expectativa pessoal.

Sete estilos que você já conhece, mas que nem sempre são lembrados para inspirar seu mundo gastronômico:

01- Cozinha rústica:





Com armários, mesas e cadeiras em madeira natural expõem louças e utensílios como parte do charme pessoal.  No piso, cimento queimado e ladrilho hidráulico, casamento perfeito que personaliza, e fica ainda mais especial se acompanhados de uma parede com tijolos aparentes. Os tijolos antigos, maiores que o normal, são mais bonitos e ecologicamente corretos. 

Para os fãs do ar da fazenda, fogão a lenha é complemento imprescindível e o de pizza, luxo opcional. O colorido fica por conta das cortinas, simpáticas substitutas das portas tradicionais.

02- Cozinha provençal: 





Super sucesso no Brasil o provençal resgata a vida rural da região de Provence, Sul de França. Por aqui tem fama de romântico, mas na terra natal sua maior identidade é a rusticidade. 

Versão econômica dos móveis franceses (séculos XVI e XVII) vestia as casas menos endinheiradas com madeiras pouco nobres e acabamentos adaptados para disfarçar a simplicidade do material. Pintados com uma mistura denominada gessocré (cola e gesso) os móveis forneciam ares nobres a casas simples. 

Com o tempo, o desgaste da pintura dava às peças um quê de envelhecido.  O estilo nasceu assim, mas também carrega outras características como a presença da cor lavanda (original dos campos de flores do mesmo nome que encantam e perfumam a região) além de outras cores em tons suaves de rosa, verde e azul que surgem tanto nos móveis quanto nos tecidos. O floral está sempre presente, assim como o Toile de joy, estampa monocromática em fundo claro que retrata cenas do campo.


03- Cozinha moderna:





O estilo moderno está ligado ao movimento de mesmo nome que ocorreu entre 1925/1950, com forte representação na arquitetura e mobiliário. No mundo da decoração, dos dias de hoje, caracteriza-se como algo novo, atual, mas que ainda conversa com seu passado. 

Linhas retas em composição com materiais como vidro, metais, acrílico, plástico em forma de produtos de alta tecnologia.  As cores neutras como branco, preto e cinza apresentam-se acompanhadas de forma pontual de cores mais fortes e vibrantes, muitas vezes primárias. Peças de design fazem parte desse contexto que prima pelo pouco, mas de qualidade.

Sem muitos adornos e detalhes é um estilo constante em cozinhas práticas, onde forma e função estão amarradas e bem casadas e a organização aparece como resultado do projeto. Nada fica exposto, tudo tem seu lugar.

04- Cozinha contemporânea:





Linhas retas horizontalizadas e composições volumétricas, são marcantes tanto quanto marcantes são os materiais como inox e vidro. 

A tecnologia está presente em toda a cadeia de produção, até o produto final. Aberturas de portas e gavetas, eletrodomésticos inteligentes e acabamentos de ponta. É um estilo em constante mutação. 

O estilo contemporâneo é definido pelo que está em uso hoje, atual e novo. Portanto, acredito que estamos em transição, já que materiais voltados à sustentabilidade estão ganhando cada vez mais status.

05- Cozinha lúdica e/ou colorida:






Quem disse que cozinha não pode ser divertida? Bom humor é receita para a vida, melhor ainda se fizer parte do seu dia a dia. 

Explorar cores vibrantes sem medo é pra quem tem estilo próprio e personalizá-la com objetos de design e toy art  é pura criatividade. Nada de mesmice ou tradicional, o lúdico tem que surpreender.

06- Cozinha na praia: 





Descontraída, geralmente apresenta uso de materiais naturais como as fibras e as madeiras, mas também pode ser colorida e descolada. O segredo é ser prática! 

Cuidado com o fechamento dos armários, a umidade do litoral é sempre um item importante a ser levado em consideração. Portas com respiração ajudam a manter aquele cheirinho característico bem longe!! Pisos e revestimentos sempre de fácil manutenção... A vida precisa ser simplificada!

07- High Tech. 





O termo High-Tech é a abreviatura de high technology que significa, do inglês, alta tecnologia e surgiu em meados dos anos 70. Na decoração, caracteriza-se por uma estética futurista, com muita luz (hoje utiliza-se o led), cor branca, superfícies lisas e muitas vezes reflexivas como espelhos, vidros e metais. Linhas retas e limpas, ambientes espaçosos, grandes aberturas e a utilização de tecnologia de ponta.

Hoje optei por uma pincelada rápida em alguns estilos interessantes que podem inspirar a renovação da sua cozinha e até da sua casa. Cada um deles pode ser esmiuçado com mais calma, mas como são assuntos constantes no mundo da decoração, não faltará oportunidade para revisitá-los.

E você, tem alguma preferência quanto ao estilo para sua cozinha? Conte-me nos comentários!

Beijos, beijos!!!!

Ôh de Casaa!! Store

Manifesto

Manifesto
Comprar de quem faz...

Instagram