Artesanato

Mosaico – Caquinhos de paciência e criatividade!!

novembro 19, 2014

DIY - FAÇA VOCÊ MESMO

Sempre gostei de trabalhos manuais e artesanato. Ficar no meu cantinho fazendo “arte” é quase uma meditação.



Hoje resolvi dividir com vocês meu conhecimento sobre mosaicos, um namoro que começou como passa tempo e rendeu frutos: trabalhos sob encomenda e aulas. Já não tenho muito tempo para me divertir com isso, mas ainda curto muito!!







Na postagem de hoje, tentarei ser o mais clara possível e descrever tudo da melhor maneira. E, para ilustrar, as quatro primeiras imagens são de trabalhos produzidos ao longo do tempo. Pra variar, as fotos não ficaram lá essas coisas, mas achei um pecado não postá-las. Elas devem ter uns 10 anos, dá pra perdoar, né?!

Pra começar, uma pinceladinha rápida sobre a história e origem... 




“A palavra "mosaico" tem origem na palavra alemã mouseen, a mesma que deu origem à palavra "música", que significa "próprio das musas". É uma forma de arte decorativa que nos remete à época greco-romana, quando teve seu apogeu. Na sua elaboração foram utilizados diversos tipos de materiais e teve diferentes aplicações através dos tempos. .”( http://pt.wikipedia.org/wiki/Mosaico)

“A técnica da arte musiva consiste na colocação de tesselas, que são pequenos fragmentos de pedras, como mármore e granito moldados com tagliolo e martellina, pedras semipreciosas, pastilhas de vidro, seixos e outros materiais, sobre qualquer superfície. Nos dias de hoje, o mosaico ressurgiu, despertando grande interesse, sendo cada vez mais utilizado, artisticamente, na decoração de ambientes interiores e exteriores.”( http://pt.wikipedia.org/wiki/Mosaico)




O que você precisa pra começar...

Ferramentas:


01- Uma boa torquês ajuda a produzir fragmentos de forma manual, principalmente peças que precisam ser pequenas e de formato especifico. 

02- Luvas, segurança necessária se o material for pastilha de vidro, elas estilhaçam e podem fazer um belo estrago nas suas mãos  e pés, principalmente se você tem o habito de andar descalça como a pessoa que vos fala!!! 

03- Óculos de proteção também são importantes para proteger os olhos, esses estilhaços são como aquelas unhas “durangas” voadoras, só que mais perigosas!


04- O cortador de azulejos também é ferramenta útil, pois produz peças uniformes em formatos e medidas. É meio grandalhão e desajeitado e de tempos em tempos precisa ter sua agulha de vídia trocada, pois desgasta com o uso. O meu cortador já foi cortar pedaços em outro canto, não tinha mais onde guardar e prefiro mesmo me divertir com as peças assimétricas.


05- Uma pinça facilita na hora de pegar os pedaços menores e encaixá-las no desenho. Pra mim, é uma extensão necessária das mãos. Percebi que com o tempo o pó dos materiais vai ressecando a pele até rachar. Meninas... creminho ao alcance das mãos!

06- Cola branca se a superfície for madeira, vidro ou metal, e argamassa se a área a ser preenchida estiver na parede ou no piso. 

07- Rejunte para finalizar o preenchimento dos espaços.


08- Espátula para distribuir o rejunte e luvas para proteger suas mãos para o caso de utilizá-las como apoio na hora de alisar o rejunte. Esse material resseca e judia da pele. Óh! O creminho de novo!!!


09- Um pano úmido e outro seco para retirar o excesso do rejunte e limpar.

10- O martelo é usado se você for trabalhar com peças assimétricas e azulejos maiores, um pano limpo também ajuda, usando-o para embrulhar a cerâmica na hora de martelar. Mora em apartamento? É melhor arrumar outro lugar para bater o martelo. O barulho incomoda mesmo! Vire a cerâmica com o esmalte voltado para o chão, embrulhado no pano e martele moderadamente por cima dele.

11- Eu gosto de usar um avental para proteger a roupa da lambança que é trabalhar com rejunte...
Atenção: É bom ter um cantinho só seu preparado pra isso e sem muita gente por perto, principalmente crianças, pois pode sim machucar alguém e você não vai querer ser a vilã da tragédia do dedo furado!




Existem dois tipos de mosaico: o direto e o indireto. O mosaico indireto é feito ao contrário e colado em uma superfície de papel que será retirada após a instalação ou produzido do lado correto e colado em uma tela que ficará definitivamente. Aqui, vou falar do mosaico direto, mais utilizado no mundo DIY – Do It Yourself (do inglês faça você mesmo), hoje “to” importada! Sempre utilizando uma superfície de apoio como madeira, metal, vidro, etc.
Segredinhos...



01- Primeiro crie o desenho e transfira para a superfície escolhida. Você pode usar papel manteiga, riscando no verso como se fosse uma folha de carbono;




02- Prepare o material escolhido quebrando ou cortando o que achar necessário, nas cores que preferir;

03- Coloque um pouco de cola em uma tampinha de qualquer coisa, onde você possa “molhar” as pedrinhas na hora de colar. Acho bem mais fácil assim do que passar a cola na superfície a ser trabalhada. Com o tempo, você aprende qual a quantidade de cola ideal para cada fragmento;




04- Comece sempre pelas bordas e repita esse processo a cada desenho a ser preenchido, só depois de contornar todas as linhas por dentro e por fora é que você deve preencher. Assim, o acabamento fica perfeito e com as linhas limites bem definidas.

05- Sempre deixo a cola secar de um dia para outro, assim nenhuma pecinha vai fugir ou escorregar do seu lugar, na hora de espalhar o rejunte.

06- Prepare o rejunte de acordo com as dicas do fabricante. A quantidade sempre vai variar e aos poucos você aprende a não desperdiçar. Quanto ao jeitão da massa, eu faço no “olhômetro”, não deve ser seco demais para não rachar após a secagem e nem muito aguado. Com cara de mingau dá certo, tenha em mente que cada cerâmica tem sua porcentagem de absorção de umidade, que pode fazer com que a massa seque mais rápido ou não na hora de espalhar e lembre, a pastilha de vidro não absorve nada... Parece complicado, mas é só a primeira impressão, depois que você trabalhar algumas vezes com materiais diferentes, vai notar como cada um se comporta.

07- Tem gente que usa verniz spray para dar acabamento e proteger, fica a seu critério.
Boa ideia: Use a criatividade e misture materiais. Pequenas peças decorativas de gesso para colar em formatos diversos como flores, borboletas ou geométricos, pedrinhas decorativas de vidro e até materiais para mosaico com diferentes texturas, mas com a mesma espessura deixam seu trabalho diferenciado.

Onde achar: Em lojas de artesanato você encontra peças de cerâmica próprias, mais macias para cortar. É possível também encontrar pacotinhos de pastilhas, assim ninguém vai precisar fazer estoque de revestimento em casa. Se você conhece alguém que está construindo ou reformando, pode pedir um pouco das sobras. Cemitério de azulejos é uma ótima fonte de compras e inspiração.

Pronto! Agora você pode começar a inventar moda e produzir algo legal e com pouco gasto para sua casa ou para presentear!

Para inspirar, outras lindas ideias!!!




Beijos, beijos!!!

Decoração

Ergonomia na cozinha

novembro 12, 2014

ERGONOMIA

Que a cozinha é o coração da casa você já sabe e eu adorei escrever sobre ela logo nas primeiras postagens aqui, na nova versão do blog. É o lugar ideal para dividir nosso tempo com quem amamos. Mas, um bom papo como pano de fundo para as peripécias gastronômicas não é o único ingrediente chave para o prazer na hora de cozinhar.  Praticidade e funcionalidade são importantes para o bem estar de quem manda no fogão e o conforto é receita infalível para qualquer atividade diária e repetitiva.


Hoje vou falar sobre a ergonomia na cozinha. Assunto de forma geral, pouco popular, mas que vem de roupa nova da “Casaa” antiga para deixar você bem informada(o) sobre o ambiente mais complexo da casa. E pra começar, entender o que significa a palavra ergonomia é o primeiro passo para captar a importância de sua aplicação nas atividades do dia-a-dia.

“Ergo” = trabalho
“Nomos”= regras

Assim, ergonomia significa um conjunto de informações e conhecimentos (regras) voltados para adaptação das condições de um trabalho às características do ser humano. Mas, acho que podemos estender sua definição e dizer que, grosseiramente, é o jeito mais confortável de desenvolver uma atividade, seja ela qual for. Por isso, utilizar seus conceitos dentro de casa é garantir, além do conforto, saúde. Por exemplo: modelo do puxador dos armários, dimensões e formato do sofá, formato do tanque de lavar roupas, altura da bancada da cozinha e por aí vai.

Para desenvolver bons projetos é necessário observar todas as questões relacionadas ao desenvolvimento de determinada atividade, neste caso cozinhar. Existem inúmeras “regras” pré-determinadas utilizadas para conceber soluções para este e outros ambientes, mas são em sua maioria, regras básicas que precisam ser confrontadas com as reais necessidades e características do morador.

Utilizar dimensões uniformizadas pode causar alguns desconfortos. Por exemplo, homens e mulheres possuem alturas e estruturas físicas diferentes e consequentemente, necessitam de soluções diversas. O segredo é a observação, informação e bom senso na aplicação do conhecimento.



Vamos às informações:

01- Altura ideal para a bancada da cozinha: 
- Regra geral: ninguém deve precisar dobrar-se para alcançar o fundo da cuba;
- Dimensão: a bancada pode ter entre 85 e 90cm, podendo sofrer aumento se houver máquina de lavar louças de piso que geralmente é muito alta. Nesse caso, a dica é que você programe a instalação dela em um canto da cozinha, próxima da cuba, mas fora da bancada em uso, assim, a altura extra não interfere no seu espaço de trabalho.
- Para pessoas com mais de 1,90m de altura: a bancada pode ter 10cm a menos que a altura do cotovelo;
Dica: Se o fundo da cuba é alcançado sem que se dobre o corpo, a solução está confortável.



02- O armário inferior:
- Se o armário abaixo da bancada estiver suspenso do piso, a distância pode ser de cerca de 20cm, para facilitar na hora da limpeza;
- Se houver alvenaria entre piso e armário, sua altura pode estar entre 10 e 15cm e ter um recuo de 0,07 a 15cm, para o encaixe confortável dos pés de quem está de frente para a bancada;
- A profundidade varia de 60 a 75cm. A medida maior costuma ser necessária se você optar por um cooktop de cinco ou seis bocas.


03- O armário superior:
- Para evitar bater a cabeça é importante que a profundidade deste armário fique entre 30 e 35cm;
- O espaço entre armário superior e bancada deve se manter entre 40 e 55cm, permitindo que as atividades transcorram sem acidentes.




04- Abaixo esquemas interessantes sobre as alturas gerais para dispor prateleiras nos armários de cozinha de forma confortável:





05- O micro-ondas instalado a 1,20m do piso é seguro e fácil de usar. Instalado a 1,40m do piso libera bancada em cozinhas muito pequenas.

06- Espaço para trabalho:
- O espaço mais utilizado da bancada fica entre a cuba e o fogão. Por isso, será mais confortável se o mínimo ficar entre 0,90 e 1,20m. Em espaços pequenos, 0,50m talvez seja o máximo que conseguiremos para esta área. O primordial é nunca esquecer de que ela precisa existir para o conforto de quem cozinha.


07- Circulação:
Nada de aperto. Na cozinha “galeria” (ver “cozinha e suas possíveis soluções”), 1,20 a 1,50m é boa solução.


08- Mesa para refeição:
- Para que a mesa seja confortável é preciso levar em conta que haverá pessoas de ambos os lados e que o centro é local de apoio. Assim, a mesa a partir de 80cm de profundidade comporta bem sem aperto.
- Para a altura, 76cm do tampo ao piso é ideal. Claro, se o morador tiver mais de 1,80m, medidas especiais devem ser cuidadosamente pensadas.





Dica: Para você entender melhor as relações necessárias entre o espaço que uma pessoa ocupa e as medidas de que necessita para estar confortável em uma mesa de refeição, abaixo três esquemas super interessantes.




09- Espaço para refeição estilo balcão:
- Geralmente utilizada em ambientes mais descontraídos, o balcão para refeições tem suas próprias exigências quanto ao conforto;
- Altura da bancada 1,00 a 1,10m, faz relação respectivamente com as seguintes medidas de altura para banqueta 0,70 a 0,80m; 
- Para a largura da banqueta, 0,30m resolve;
- Profundidade da bancada de 0,45m é o suficiente para pratos e copos;

10- Se o seu sonho é uma cozinha ao melhor estilo americano, com mesa alta para banquetas, espaçosa e aberta para a sala, considere 1,20m de tampo. Deixe 30cm para dentro da cozinha e o restante para o lado da sala.

Para finalizar a postagem do dia, abaixo imagens de estudos sobre as dimensões gerais do corpo humano e o espaço que ocupa em diferentes momentos, em estado de repouso ou em movimento: 




Informação nunca é demais e quanto mais você souber sobre o que é certo, mais segura para tomar decisões sobre sua casa. 

Beijos, beijos!!

03- Ergonomia na cozinha (você está aqui)






Organização

13 Boas Ideias para sua despensa

novembro 05, 2014

ORGANIZAÇÃO

Se você tem uma despensa em casa, ótimo! Se os armários da cozinha são sua única salvação, sem problema, as 13 boas ideias apresentadas aqui servirão também. Você precisa apenas conhecer bem suas necessidades e aproveitar as que se encaixam na sua rotina.




01- Se você curte um vinhozinho aqui vai uma sugestão econômica para armazená-los. Conte quantas garrafas você costuma ter em casa. Tire duas medidas: o diâmetro e a altura sem o gargalo. Compre um pedaço de cano de PVC com uma folguinha no diâmetro em relação à garrafa e do comprimento total da soma de todas as garrafas, lembrando que serão empilhadas como uma pirâmide. Corte na medida das garrafas, amarre ou cole. Pronto, simples e barato. Essa foi cortada pelo morador, habilidoso e prestativo e eu mesma montei. Aproveitamos um porta copos de descarte que não tinha mais uso.

02- Sabe os rolos de plástico filme, papel laminado, saquinhos de freezer? Eles precisam estar sempre à mão, aqui foram armazenados em uma cesta de fibra que a dona da casa já tinha, mas não sabia bem como usar. As caixas fechadas ficam por baixo e os rolos em uso, por cima.

03- Uma bandeja também de fibra pode armazenar os pães. Tanto os de forma quanto os de padaria. Abriu, fica aí.

04- Uma cesta dessas baratinhas armazena todos os pacotes de biscoitos e bolachas abertos. Nesse caso, elas não foram para os vidros (solução ideal), pois o consumo é rápido. Quem tem criança em casa sabe. Para mantê-las fechadas, há um rolo de fita adesiva só para isso num cantinho da despensa. Lacre bem!

05- Consumidores diários de torradas. Cada vidro armazena um tipo: salgada e integral. Vai direto para a mesa sempre que necessário.

06- Os remédios de uso diário que dependem de alimentação ou são utilizados durante o dia, podem ficar em uma frasqueira na prateleira alta, longe do alcance das crianças.

07- Produtos abertos para uso diário na cozinha ou consumo, como farináceos e docinhos diversos ficam em vidros, etiquetados com nome, data de validade e data de abertura do produto.

08- Para facilitar o café da manhã a bandeja tem tudo o que cada um usa diariamente, assim, quem arruma a mesa não se esquece de nada: açúcar branco, açúcar mascavo, açúcar light, adoçante, achocolatado, shakes de regime, aveia... não importa. Você só precisa conhecer os hábitos da sua família e montar a bandeja ideal.

09- O mesmo conceito serve para a bandeja das refeições: sal, azeite, pimenta e outras cositas que você gosta de ter a mão no almoço ou jantar.

10- Sabe aquele faqueiro que você gosta de usar aos finais de semana, no dia do churrasco? Um porta talheres é bem prático. Como não havia uma gaveta disponível para mais esse conjunto, a solução resolveu o problema de espaço e também vai direto para a mesa.

11- A lata estampada é para manter as latinhas de cerveja geladas. Mora do lado do porta talheres e guarda os isopores de latinha dentro. No domingo, todos unidos vão para a mesa.

12- Para os amantes de fondue, manter os rechôs em suas caixas originais ajuda na armazenagem e protege. Se você tem mais de um tipo, junte todos em um cantinho só. Quando quiser, já está na mão.

13- Separe as garrafas por tipo e tamanho. Faça fileiras de forma que o produto da frente seja o representante do que está atrás, ou seja, igual ou semelhante. Por exemplo, se você tem uma caixa de suco de cada sabor, pode colocá-las enfileiradas para aproveitar espaço, mas se tem muitos do mesmo sabor, procure deixá-los cada qual em sua própria fileira. O mesmo vale para refrigerantes e outras bebidas.

Avalie seu dia, seu espaço e seus hábitos, facilite a vida e tenha mais tempo para você e sua família. 

E você tem alguma dica que funcionou na sua dispensa? Me conte!

Beijos, beijos!!

01- 13 Boas ideias para sua despensa (você está aqui)
02- 12 Dicas para sua despensa



Ôh de Casaa!! Store

Manifesto

Manifesto
Comprar de quem faz...

Instagram