Palavras do Coração

Meus desejos para 2016

janeiro 22, 2016

PALAVRAS DO CORAÇÃO

E o ano de 2016 já está nos trilhos iniciando sua jornada lentamente e num balanço ritmado; como uma romântica Maria Fumaça, prenuncia lindas e encantadoras paisagens e, claro, oferecendo tempo para observá-las... coisa rara em século de trem bala!  Lenta e prazerosamente preguiçosa, vai assim até uma cidadezinha chamada Carnaval.  Lá, despeja toda a galera animada, porém, até ali, contida e observadora.



É então que as zombarias, cortejos, gritos animados e pés ágeis espantam a Dona Maria Fumaça da barulhenta cidadezinha, acostumada tão somente ao som de suas rodas nos trilhos e ao vento a fazer-lhe companhia, retira-se com o glamour de um recomeço sonhador e dá lugar ao nosso amigo “tempos modernos”.  Apenas depois do nosso pomposo, barulhento, colorido e fanfarrão Carnaval é que as coisas dão o primeiro passo, de preferência... pezinho direito.

Mas, pensemos no trajeto, no período de tempo em que podemos ainda sonhar com as novas paisagens antes do rito de passagem brasileiro, que leva todos nós realmente ao recomeço.  Pois é, em tempos modernos, tempo é o que mais falta, mas não faltam sonhos, desejos e energia para superar a rapidez dos ponteiros incansáveis. E a coleção de desejos não se intimida. Vamos sonhar, desejar, esperar, agir, ter fé, esperança e mente aberta.

01- Desejo mais amigos. O ano passado me fez muito bem nesse sentido, gostei tanto da brincadeira, que para este ano eu quero mais. Mais amigos para mim e para você, pois ter gente que faz bem para a gente por perto é bom demais da conta sô!


02- Desejo muita saúde. Ter qualidade de vida é ter bom humor, vontade, energia, vitalidade. Todo mundo tem algum perrenguezinho para carregar, mas quando se descobre como conviver bem, tudo fica melhor. 

03- Desejo que quem tem um pet em casa possa ter centenas de momentos especiais. Essas bolinhas de pelos de olhinhos doces são recarga de tudo o que é bom e deveriam viver muito mais do que a mãe natureza definiu, mas já que a doçura tem prazo relativamente curto, que sejam nossos melhores momentos.

04- Desejo a vida sem preconceito. Seja de cor, raça, religião, crença, aparência, condição social, condição cultural, opinião, idade, nacionalidade, opção sexual ou qualquer outra coisa, inclusive aquele “pré... conceito” no estilo “olhei pra você, te julguei e mesmo sem te conhecer, já tenho uma opinião formada e acredito mesmo que sei quem você é”. Hum... ãrrãm....

05- Desejo um ensino com qualidade. Conhecimento é formador de opinião e desenvolve a cidadania, responsabilidade, higiene, respeito... a educação em si é coisa de pai e mãe, mas a escola ajuda quando auxilia no desenvolvimento individual e consciência coletiva e, além disso, eleva a qualidade das escolhas. Povo culto e educado é sinônimo de país que dá certo...

06- Desejo justiça para a política corrupta. Sem comentários... nada mais a declarar além do que estamos cansados de já saber. Afff.



07- Desejo que nossos recursos naturais sejam respeitados e poupados. Não apenas a água que falta ou é poluída, a árvore arrancada que piora a temperatura do planeta, os animais assassinados que estão em extinção, mas também a comida que se joga fora por falta de planejamento, e o excesso de consumo, que consome por tabela a natureza e depois a entulha com seus restos mortais.

08- Desejo que as pessoas tratem as outras como gostariam de ser tratadas. Exercício que não é simples, mas pode ser o caminho mais certeiro para bem conviver.

09- Desejo que a tecnologia trabalhe a nosso favor. Ao invés de pesquisas apenas com visão comercial, que a saúde e o bem estar sejam, verdadeiramente, o foco principal. E de quebra, um tratamento mais humano por parte dos médicos e mais respeito e comprometimento por parte das autoridades, oferecendo saúde pública decente para a população... vários desejos em um só, mas tá valendo vá!

10- Desejo que as famílias encontrem seu ponto de equilíbrio. Pessoas muito diferentes convivendo juntas pode não ser a receita mais simples do planeta, mas tem jeito... Respeito, carinho, atenção, educação, consideração, cuidado, afeto, abraço, beijo. E se tem criança no pedaço, que cada um saiba aproveitar bem o seu tempo com elas, pois elas crescem e deixam saudades da versão “P” delas mesmas, e aviso: essa versão não volta mais!!

11- Desejo a paz no mundo. Parece coisa de concurso de Miss, mas vamos combinar que guerra é algo irracional, monstruoso, sem lógica e sem respeito nenhum pelo ser humano. Matar em nome de Deus é falta de raciocínio e sobra de prepotência, orgulho, egoísmo e tudo de ruim. Muita gente inocente perdendo a vida por uma bandeira vazia, oca da verdade. Que ao menos o mundo seja solidário com os inocentes sobreviventes. 

12- Desejo que os relacionamentos humanos sejam mais valiosos. A inversão de valores soterrou as relações humanas. No trabalho as pessoas se atropelam e “puxam o tapete” por uma promoção e pelo salário almejado; nas escolas, os alunos atacam as diferenças e disputam território como na selva. Mas acho que o pior é a banalização dos relacionamentos entre homens e mulheres; mal a tempo de saber o nome e a fila já andou. E quando alguém se comporta de forma diferente da maioria, valorizando a busca por algo real, é visto como quem não sabe se divertir ou tem algum tipo de problema. Basicamente o que deveria ser o mais saudável é o mais estranho nos dias de hoje.


Se eu ficar aqui, pensando um “poquito mas” vou escrever muuuuitos outros desejos. Desejar faz bem! Uma amiga me dizia que a primeira coisa para conquistar algo é construí-la primeiro no astral, ou seja, no pensamento, e depois as coisas vão acontecendo do lado de cá, na matéria. Então, vamos desejar muuuuuitoooo, vamos construir um futuro melhor de alguma maneira. Mesmo que seja apenas para as próximas gerações, que sejam nossos filhos e netos a usufruírem, mas que aconteça! “Vamú” junto!

Gostou do post? Ele foi útil para você? Então me ajude na divulgação do ohdecasaa compartilhando com os amigos nas redes sociais! É só clicar nos botões logo ali abaixo! Tem dúvidas sobre o tema? Pode deixar sua pergunta nos comentários!Quer dar sugestões e pitacos? Também pode!!!

Beijos, beijos!!


Palavras do Coração

O melhor de você para você e para o mundo

janeiro 20, 2016

PALAVRAS DO CORAÇÃO

Tenho uma tia avó que já viveu momentos muito difíceis, acho até que é um pouco incompreendida. Não é qualquer um que aguenta certas chacoalhadas da vida, e o julgamento das pessoas é inevitável, eu mesma, talvez já tivesse jogado a toalha, mas ela não. Firme e forte, apesar de tudo; e ainda por cima preocupada com os outros. 


Pois é, em uma das viagens que fizemos juntas com minha avó (leia aqui), eu notava, durante o descanso no hotel que ela pegava um maço de papéis bem grosso e ficava quietinha, lendo, concentrada. Um dia, me explicou o que era: um conjunto de textos e orações para ler diariamente, quase uma meditação, e disse que me arrumaria uma cópia. Ali, percebi o quanto ela precisa de força para seguir em frente e também descobri que, quando você procura um apoio, uma maneira de recarregar sua fé é porque você é mais forte do que pensa, afinal, quem não busca, afunda por pura falta de atitude, acha mais fácil lamentar que lutar e ali, passei a admirar a busca dela e a compreendê-la um teco melhor.

Algum tempo depois, recebi pelo correio todo o chumaço de papel e uma cartinha muito doce. Li tudo, cheguei a fazer por um período a leitura da mesma forma que ela faz, mas depois adaptei o conteúdo ao meu jeitinho e hoje, ao meu “jeitinho”, vou escrever inspirada em um dos tantos textos que viajaram naquele envelope. São vinte dicas para você viver e doar o melhor de você para você mesma (o) e para o mundo; mas hoje, falaremos apenas das dez primeiras para não ficar extenso demais. Logo, prometo que retomo e escrevo sobre os outros dez.

01- Elogie três pessoas por dia. Receber elogios faz bem para a autoestima, mas que seja sempre um elogio sincero e verdadeiro; que fale a boca e os olhos uma verdade só. Você produzirá uma energia boa e positiva que pode melhorar o dia de alguém. Não fique apenas no elogio da aparência, esse também é bom, mas vá além! Elogie atitudes, opiniões, ações, sentimentos, qualidades da personalidade ou um feito. A questão aqui é exercitar, ver o que é bom e abandonar nossa péssima tendência em observar e criticar o que não é legal. Todos nós temos muuuitos defeitos, mas também temos inúmeras qualidades! 

02- Tenha um aperto de mão firme. Uma vez tive um cliente, um senhor muito educado, mas com um aperto de mão tão absurdamente forte que realmente me machucava. Um dia falei para pegar mais leve, ele riu, claro, mas na base da brincadeira eu sempre tentava escapar do massacre dos meus dedinhos. Dizem que um aperto firme define a pessoa, mas ninguém se sente bem ao sentir sua mão se transformando em uma laranja exprimida e menos ainda, tendo a sensação de que está pegando em algo prestes a desmanchar. Vamos ao equilíbrio? Olhos nos olhos e um aperto sincero, porém equilibrado, é uma bela mensagem de boas vindas.

03- Olhe as pessoas nos olhos. Aí óh... Não falei? Tem gente que olha para os lados, para cima e para baixo, e nunca nos olhos do outro. Passa a impressão que a pessoa não está à vontade ou que tem algo a esconder. Tem gente que não confia em quem não olha nos olhos. Dúvidas e julgamentos a parte, o ideal é encarar a vida de frente e olhar nos olhos cordialmente é uma postura bem positiva! 

04- Gaste menos do que ganha. Estou lendo um livro sobre finanças para pessoas comuns que sugere escolhas e hábitos que podem fazer prosperar a médio e longo prazo, dependendo do tema discutido. O assunto que mais se repete é exatamente este: gaste menos do que ganha e viva dentro dos seus padrões financeiros. Dívidas acabam com a tranquilidade de qualquer um e podem, inclusive, destruir relacionamentos. Seja cuidadosa (o) e viva mais leve.

05- Saiba perdoar a si e aos outros. Eita coisinha difícil. Um exercício diário. Fez algo do qual se arrependeu? Peça desculpas e siga em frente, se a pessoa decidiu não perdoar, deixa para lá, isso é entre ela e ela mesma! Exija menos de você, leve as coisas menos a sério. Seja leve!

06- Trate os outros como gostaria de ser tratado. Quando falar algo, imagine-se ouvindo o que tem a dizer. Te fez bem? Manda ver. Preferia ter passado sem essa? Melhor ficar de boquinha fechada. Atitudes, tom de voz, palavras, reserve o melhor para dar, é também uma maneira de ensinar como você quer ser tratada (o).

07- Faça novos amigos. Não precisa lotar sua página do face para dizer que tem muitos amigos. Você pode fazer amigos sendo gentil na fila do supermercado, com a recepcionista da clínica ou na porta da escola dos seus filhos. Gentileza é um ato que aproxima as pessoas.

08- Saiba guardar segredo. Quando alguém confidencia algo a você é porque existe confiança e confiança é algo que, quando se desfaz, o trabalho de reconstrução é árduo e demorado. O que não te pertence deve ficar respeitosamente guardado.

09- Não adie uma alegria. Os momentos passam a todo vapor, a vida é cheia de compromissos, cobranças, contas a pagar, responsabilidades e tempo é item em falta na prateleira. Mas quando algo bom acontece, a gente pode aprender a parar, respirar e viver o momento, o mundo não vai acabar por conta dessa paradinha. Provavelmente, pouquíssima coisa vai mudar, de tudo o que alimenta sua ansiedade, apenas porque você aproveitou os minutos especiais que estão sorrindo para você. Abrace e aproveite!

10- Surpreenda aqueles que você ama com presentes inesperados. Pode ser um bombom, um poema escrito por você ou uma carta. Pode ser uma música, uma roupa ou uma viagem, não importa o valor, aliás, é o que menos importa. O mais importante é a lembrança, o carinho, a gentileza. No momento em que você presenteia sem motivo, você desencadeia uma energia de surpresa, entusiasmo, encantamento e agradecimento naturais, genuínos e positivos. É energia que vai e volta. Experimente!

Para pensar, refletir e absorver. Exercitar o que é bom em atitudes e pensamentos é como plantar flores dentro da gente; é preciso fazer manutenção para virar hábito, ou morre mesmo. Vamos cultivar flores? 

Gostou do post? Ele foi útil para você? Então me ajude na divulgação do ohdecasaa compartilhando com as amigas na redes sociais! 

Tem dúvidas sobre o tema? Pode deixar sua pergunta nos comentários!Quer dar sugestões e pitacos? Também pode!!!

Beijos, beijos!!


DIY

Manta Jeans – O finalmente!

janeiro 18, 2016

DIY - FAÇA VOCÊ MESMO

Pensa numa pessoa felizinha, que olha para sua produção DIY e sorri, sorri, sorri.... Perfeito? Não ficou, mas para o primeiro experimento acho até que dá para dizer que ficou quase! Humirde! Rs. Ficou tão legal que até a família sugeriu: “larga tudo e vai costurar”!!! Animadíssima!

Então vamos lá, só para recapitular: desmontei as calças, fiz um molde e cortei os quadradinhos 15cmx15xcm (veja aqui), depois comprei brim para completar e resolvi variar nos tamanhos (veja aqui) e agora vou finalizar! Tcharam!!!

Eu havia alfinetado e tirei foto com a manta no chão. Ali eu fiz um estudo de cores e de tamanho. Como não planejei muito, fui fazendo na intuição. Eu não tinha uma ideia definida das medidas, chegou uma hora que achei bom e pronto, parei por ali.

Ao começar a montagem, você precisa parar e focar, não dá para sair costurando, dá bode! RS. Então vamos ao produto final. Como eu já havia pré-montado a manta com alfinete, fui desmontando pequenos pedaços para costurar. 




O segredo é montar duas peças, depois mais duas e depois você une. Cuidado com os encontros das costuras, tem que ficar tudo alinhadinho! Quando tem um quadro maior, você une dois menores e depois costura no maior... e assim vai, sempre atenta.


Antes de começar a usar a máquina, use alfinetes para manter a peça unida. Alguns tecidos, como as das calças jeans, têm uma certa elasticidade que podem dificultar a sua vida. É só alfinetar que dá certo!


E aaaeeeee  sim vamos para a máquina! 
Quando o alfinete estiver próximo ao pé da agulha, você tira. Procure usar alfinetes com cabeça redonda, evite o convencional, se você não quiser fazer calo no dedo em três dias! Afff... dói hein!!! rs. Costure do começo ao fim do tecido, mesmo que o quadro esteja desenhado apenas no centro.



Depois passe a ferro a costura aberta, para que, quando você for unir uma fileira à outra, a máquina costure todas as bordas abertas, assim não faz bolo no verso.



Óh que bonitinho que fica!


Veja como as costuras do verso precisam ficar. Ainda não limpei as linhas, mas fotografei para vocês entenderem como é.



E a frente ficou assim. Todos os quadradinhos unidos por uma causa justa!!!


Depois vamos ao quadro. Pesquisei na internet e achei vários vídeos com explicações (veja aqui o vídeo da Cleidiane da Costa, que usei como referência), toda animada, arregacei as mangas e fiz. Parece difícil né?! E é!!! Hahaha... Quem disse que seria fácil fazer uma coisa pela primeira vez, sem nunca ter feito um curso? O melhor de tudo é conseguir finalizar, mesmo que não seja o melhor dos resultados, foi o melhor que pude fazer, sem conhecimento e sem todas as condições necessárias. Digo isso, porque trabalhar com uma peça grande, sem uma mesa adequada, espaço e ainda sem muito traquejo para manusear tantas partes sobrando ora de um lado, ora de outro; ora escorrega, ora amontoa, não foi sopinha.

O que aprendi com esse desafio?

1- É corajoso se propor a fazer algo novo, mesmo sem conhecimento. É como uma injeção de ânimo na sua autoestima;

2- Quando você tem conhecimento, sabe por onde começar e sabe como chegar ao resultado esperado. Mas quando você mergulha em um universo que não conhece, percebe que suas escolhas é que trilharão os passos seguintes. Foi assim que, mesmo assistindo aos vídeos de como fazer, tive que encontrar as minhas próprias soluções, pois o meu primeiro passo não foi igual ao de quem já sabe.

3- Valorizar seu trabalho, mesmo que não esteja perfeito. A perfeição não existe e quem chegou mais perto disso, precisou viver muitos desafios, cometeu muitos erros e repetiu muitas vezes as mesmas ações.

4- E claro, aprendi também que é melhor deixar dois centímetros de sobra para a costura ao invés de apenas um; que cada máquina tem seu “jeitinho”de ser (usei duas, uma antiga e outra portátil); que alinhavar antes de costurar vale o esforço do resultado e que cada tecido tem sua própria “personalidade”. Ah! Já ia esquecendo, aprendi, com um certo suor, o que é canto mitrado!!!rsrs. 

Então, a manta ficou assim!!!!



O processo de matelassê eu não fiz, mandei fazer, pois é preciso uma máquina profissional e experiência no assunto, mas entreguei a manta pronta e fechada, com frente, verso (forro) e recheio (manta de fibra) resolvidos. Orgulhosa de mim!!! 

Peço desculpas aos leitores por não ter muitas fotinhos do finalmente. Fiquei tão entretida com o processo e com a necessidade de solucionar problemas, que mudei de planeta! Quando voltei, já não dava mais para fotografar as etapas! 

Foram muitos os desafios, vejam quanto tempo faz desde a primeira postagem de lançamento do projeto “manta jeans para o sofá”! (leia aqui).

O que posso dizer? 
Estou abrindo portas e janelas para uma nova etapa! Sim, sim, sim!! Amei costurar! E em minha cabecinha brotam ideias a todo momento! E eu? Vou colher cada uma, lembra do bonde? (leia aqui) Acabei de subir em um!!!! Urruuu! Boa viagem para mim e para todas vocês corajosos, que enfrentam o novo acreditando que tudo é possível, basta amar o que se faz!!!

Beijos, beijos, beijos








Arte e Design

A delicada arte de Enrique Rodriguez

janeiro 15, 2016

ARTE & DESIGN

Conheci pessoalmente o arquiteto e mágico dos papeis Enrique Rodriguez na Equipotel de 2008, acho eu; não liguem para a minha memória falha, o tempo passa e os calendários se misturam...rs... cabecinha!


Cheguei perto do stand onde suas obras estavam expostas e nada de recepcionista copiando o código do crachá – graças aos céus!!! Na verdade, fui recepcionada por ele mesmo e achei isso o máximo, uma proximidade que poucas vezes acontece no mundo das artes. Essa foi uma atitude que marcou, definiu o momento e concretizou a memória. Vocês acham que me esqueci do que vi? Naadaaa!


Então hoje vou falar sobre as criações de Enrique Rodriguez, que por sua educada abordagem, me fez parar para ouvi-lo e observar sua delicada arte. 



Primeiro preciso tecer alguns comentários sobre o galpão! Um espaço de 350m2 que ainda não tive a oportunidade de conhecer. Fica em Sampa, na região da Paulista. Um estúdio para pesquisa, estudos, criação e exposição de grandes peças. Acredito eu, onde também vive a Universidade do Papel,  um projeto desenvolvido pelo próprio Enrique Rodriguez.



Fiquei na secura genteee!!! Imaginei-me lá, desenhando, cortando, montando, criando arte!!! Quem sabe um dia?!!! Fé! Rsrsr. 

Entre papeis, folhas de madeira e acrílico, sua criação é extensa e abrangente:




As telas, uma mais linda que a outra, encantam com a tridimensionalidade, combinação de cores e total equilíbrio no ambiente.


Os paineis retroiluminados... outra faceta criativa!



Criações para restaurantes, hospitais, mostras, residências e sempre com uma linguagem marcante que define o artista; porém, personalizada e inserida no contexto.


A madeira também é matéria prima nos trabalhos de Enrique Rodriguez. Na coleção Amazônia ela aparece em lâminas de reflorestamento, casada com o papel em um trabalho tridimensional lindo!


Em parceria com empresas como a “Oxford” e a “Acrílicos Santa Clara”, criou linhas exclusivas com uma linguagem que já identifica seus trabalhos. Linhas que falam sobre a natureza estão sempre presentes.


O acrílico também surge como matéria prima para a linha Kirigami, peças sem cortes ou colagem, são chapas únicas cortadas e dobradas. Como não gostar?




Luminárias exclusivas para projetos exclusivos!


E aí eu piro!!! kkkkk!!! Olhem só essas flores!!! Ahhh Céus, quem resiste? E aqui fica meu registro pessoal, essas flores são as minhas preferidas! Pronto, falei! 

Gostou do post? Ele foi útil para você? Então me ajude na divulgação do ohdecasaa compartilhando com os amigos nas redes sociais! É só clicar nos botões de compartilhamento logo ali abaixo!

Tem dúvidas sobre o tema? Pode deixar sua pergunta nos comentários! Quer dar sugestões e pitacos? Também pode!!! 

Beijos, beijos!!












Diário de Obra

Diário de obra: Organize-se e faça as escolhas certas para economizar

janeiro 13, 2016

DIÁRIO DE OBRA

Na postagem anterior do “Diário de Obra”, dei uma pincelada rápida sobre o início da execução para que você não se sinta tão perdida (o). Falei sobre questões burocráticas e ações necessárias para que as coisas realmente comecem acontecer. 


Hoje vou falar um pouco sobre a importância de organizar e também sobre as escolhas que você pode fazer para economizar durante a construção da casa dos seus sonhos. Todas as dicas são válidas, mas devem ser estudas em conjunto com o profissional contratado. Cada decisão precisa estar em harmonia com as suas necessidades, com o conceito do projeto e de acordo com as suas expectativas, não decida nada sozinha (o). 

Aliás, esta é a primeira dica: 


01- Investir na contratação de um profissional foi, desde o início do “Diário de Obra”, uma tecla revisitada (veja aqui). Não é puxar sardinha, pessoas queridas, mas uma realidade. Ter quem oriente e ajude nas tomadas de decisões é economia de cerca de 25%. Ou seja, a contratação não é gasto extra, é garantia de investimento certeiro. Resumidamente:

- O arquiteto: desenvolve o projeto arquitetônico, inclusive os de prefeitura e executivos;

- O engenheiro: avalia o solo para definir e desenvolver o projeto de cálculo estrutural, muro de arrimo, projeto de hidráulica e elétrica (cálculo de carga); sempre baseado no projeto arquitetônico;

- Mestre de obras: acompanha a obra diariamente, fazendo o controle de qualidade do acabamento, recebendo os materiais que chegam ao canteiro, verificando se estão ok na quantidade, se os produtos não possuem defeitos, e orienta a entrada de outros profissionais de acordo com o momento da obra (pois ele tem conhecimento do andamento do processo). Faz a ponte entre o proprietário e os profissionais envolvidos. Neste caso, pode ser acordada uma visita semanal ou quinzenal do engenheiro ou arquiteto, dependendo do momento da obra, para garantir que tudo esteja de acordo com os projetos e para tirar possíveis dúvidas. 

- Uma empresa também pode ser uma boa solução. Encabeçada por um profissional da área, pode vender o pacote de projeto, execução e administração da obra, ou seja, será responsável também pelas pesquisas de preço. Neste caso, existe um contrato que garante prazos e responsabilidades. E é fácil você verificar se as escolhas estão sendo honestas, de vez em quando pesquise por conta, um ou outro orçamento apresentado.

Atenção: para qualquer alteração é preciso conversar com quem desenvolveu o projeto, mudanças não planejadas acarretarão problemas em etapas futuras, desperdício de dinheiro e tempo.

Contrate sempre através de indicação e peça para conhecer obras já executadas de todos os profissionais. A garantia de economia está diretamente relacionada com o conhecimento e experiência dos envolvidos.


02- O canteiro de obras organizado (veja aqui) tem que funcionar como uma empresa, com logísticas inteligentes. Pode parecer exagero, mas fechar a obra com tapume e definir um portão de entrada e outro de saída de entulhos, além de outros materiais é escolha inteligente. Manter um barracão para armazenar produtos perecíveis como cimento, cal e madeira; é proteger o seu investimento ao evitar perda de material. O canteiro de obras organizado agiliza o trabalho e o controle de materiais.

É legal você saber:

- Cimento ensacado armazenado corretamente dura até quatro meses;
- Areia protegida não tem data de vencimento;
- Madeira bruta bem armazenada aguenta por seis meses;
- Madeira de lei bem armazenada resiste por um ano;

Qualquer um dos itens mal armazenados (menos a areia) durará cerca de um mês, no máximo dois.


03- Planeje com cuidado o ritmo da obra. Obra parada é desperdício de material que estraga com o tempo. O “prejú” pode passar de 30% do valor inicialmente programado. Se a grana está curta, programe-se para executar até a conclusão do telhado - protege o que já foi feito, impedindo a deterioração pelo tempo. Uma parede de alvenaria, mesmo sem acabamento, pode aguentar até 15 anos.


04- Organização e planejamento nas compras. Utilize o memorial descritivo (lista de todos os materiais e suas quantidades) fornecido juntamente com o projeto para programar as compras. Uma das medidas é saber quais custos serão os maiores e planejar os respectivos desembolsos. Conhecendo as etapas do projeto e os prazos de entrega, é possível organizar compras e manter a obra em andamento. Obra parada é dinheiro indo embora.


05- Pesquise e saiba o momento de comprar. Nas grandes lojas é possível encontrar vários produtos com entrega imediata ou em até três dias: louças, metais, tintas de marcas conhecidas ou mais econômicas e produtos que estão na “moda”, pois são materiais com saída garantida, ao contrário de peças mais caras ou personalizadas que são vendidas apenas através de mostruários.

06- Pesquise desde o início. Assim que a obra começar, faça um acompanhamento dos preços e observe os períodos de promoção. Além de captar o melhor momento da compra, você também consegue avaliar quando realmente está pagando um valor justo por algo. Três fornecedores é o suficiente para você acompanhar. E atenção ao prazo de entrega sempre!

07- Ao comprar materiais como cimento e cal, procure aproveitar os bons preços e acordar com o fornecedor uma entrega programada, isso evita um estoque alto que pode ser perdido na obra, inclusive, por conta de prazo de validade. Atente para as informações do fabricante quanto aos cuidados com o armazenamento.

08- Negocie descontos ao fazer compras em grandes quantidades e se a opção for trazer algo de longe, a quantidade tem que compensar o frete.

Seguindo com as dicas, mas agora um pouco mais específicas:


09- Utilizar o mesmo piso em toda a casa segue a linha de compra em grande quantidade para negociar um belo desconto, além de diminuir a perda com recortes.

10- Utilizar o mesmo rodapé também economiza. Existem várias possibilidades, mas repetir o mesmo material do piso é a opção mais em conta. As alturas variam de sete à quinze centímetros, é possível defini-la de acordo com a dimensão do piso e assim evitar sobras. A dica aqui é, se o piso for de porcelanato, material mais duro e portanto mais fácil de lascar, o ideal é levá-lo ao marmorista para cortar e garantir um bom acabamento. Mas se a opção é cerâmica, é possível cortar na obra mesmo.


11- Esquadrias prontas são ideias para economizar, mas se houver necessidade de adaptá-las, é possível, com um custo entre 10% e 15% a mais, ainda sim, bem mais barato que mandar fazê-las sob medida, o que pode custar o dobro. Dentre todas, as de ferro são as mais baratas, mas avalie se ela estará condizente com o projeto.


12- Terrenos com necessidade de aterro podem ter a construção sobre pilotis, o que ecomoniza muito; mas não se deve abrir mão de muro de arrimo se houver necessidade, é questão de segurança.

13- O cimento queimado tem um custo bem legal, mas a mão de obra precisar ter experiência e muito capricho. Se decidir por esse caminho, tenha consciência dos riscos.

14- Para casas com telhado sem laje, optar pelo forro apenas onde é necessário.

15- Tinta branca e as tintas prontas têm menor custo que as produzidas pelo sistema de códigos. 


16- Escadas com degraus de concreto armado executados na obra.



17- Utilizar revestimentos apenas nas áreas molhadas dos banhos (Box e bancadas), cozinha (bancada) e lavanderia (tanque e bancada se houver). Atente para escolhas com custo benefício boas, existem inúmeras marcas, estilos e materiais disponíveis no mercado que permitem um resultado bem lega,l sem gastar muito.

18- Um contrapiso bem feito e nivelado evita gastos desnecessários com argamassa e tempo, no momento da instalação do piso.


19- Invista em itens um pouco mais caros em detalhes e áreas pequenas, como o lavabo, por exemplo;

20- Telhados mais simples, com poucas quedas, reduzem o uso de materiais. Converse sobre isso com o profissional enquanto o projeto estiver sendo desenvolvido, pois faz parte do contexto do projeto e do conceito definido a seguir. Alterar depois pode não dar um bom resultado.


21 - Para os não preconceituosos, construir com o sistema de blocos de poliestireno expandido, o EPS (isopor), é bem econômico. Serve de molde para o concreto armado, formando as paredes autoportantes. Minimiza o tempo de construção, é ótimo isolante térmico e acústico, só não pode ficar diretamente ao sol; o projeto tem que considerar beirais e distâncias de segurança. Além disso, é uma opção sustentável, pois diminui o consumo de ferragens (50%) e cimento (35%) e por ser mais leve, exige menos das fundações. 

Existem muitas outras soluções econômicas que podem ser decididas durante o projeto ou até mesmo ditar o conceito e o caminho a seguir a partir da escolha de determinado elemento. O segredo, principalmente nos dia de hoje, é não ter preconceito. Esteja aberta (o) para possibilidades, pense fora da caixa, aceite rever conceitos, pode ser a melhor forma de alcançar o sonho de construir uma casa. Ter consciência do que realmente é importante para você permitirá abrir mão de algo por um bem maior, sem sofrimentos e angústias. 

Gostou do post? Ele foi útil para você? Então me ajude na divulgação do ohdecasaa compartilhando com os amigos nas redes sociais! É só clicar nos botões de compartilhamento!

Tem dúvidas sobre o tema? Pode deixar sua pergunta nos comentários!Quer dar sugestões e pitacos? Também pode!!! 

Beijos, beijos!!












Organização

Organizando a papelada para começar o ano bem!!

janeiro 11, 2016

ORGANIZAÇÃO

Tudo o que a gente mais quer, quando o novo ano entra, é começar tudo de um jeito melhor. Mais tranquila (o), sem dívidas e com tudo mais organizado. A gente repensa a vida e decide dar mais atenção à saúde, poupar mais para fazer algo que não conseguiu no ano anterior, ter mais tempo com a família... recomeçar mesmo.


Acredito que todos esses desejos fazem parte da lista da maioria das pessoas, e essa grande maioria também não sabe como e nem por onde começar. O post de hoje é para ajudar a galera a entender que, organizar é o primeiro passo. E isso vale para tudo. Você acha possível poupar para uma viagem, por exemplo, se suas finanças estão à dança-do-balacobaco? Organizar as finanças é necessário, não tem como fugir.

Mas hoje, vamos falar da papelada, uma etapa que vem antes das finanças (no sentido de planejamento) e vale o tempo investido. Se sua papelada está o caos, mais parecendo areia em dia de ventania, “carma bem”, respira fundo e vamos juntas (os) nessa missão.

Como todo processo de organização, você pode dividir em partes. Euzinha, quando decido organizar, faxinar, arrumar, faço tuuudooo de uma vez, ou perco o pique. Deixo para fazer picado o que é manutenção, mas essa é outra história, falaremos outro dia.

 Voltando ao assunto, você pode transformar as etapas em dias ou mergulhar de cabeça!! Fica a seu critério. Aliás, vamos chamar de “passos”, tem mais a cara do post, assim você pode dar um “passo”de cada vez e caminhar no seu tempo! 

Coloque um saco de lixo por perto, para o caso de precisar descartar coisas que você já sabe, de antemão, que não serão úteis eeeeee... Vamos às superdicas!!!


Primeiro passo:
Faz um rapa na casa...rsrs. É isso mesmo, faça um arrastão nas gavetas, armários, bolsas, carteiras e arquivos. Se você é do tipo que, apesar da sua papelada estar um bolo desesperador de tão confuso, mas num único local, belezinha, facilitou a vida. Mas, quem larga tudo por aí, vai ter um trabalhinho. 

Use uma caixa para juntar tudo, fica mais fácil carregar pela casa e também para deixar o próximo passo para outro dia. Se você é do time do uma-coisa-de-cada-vez, põe a caixa num cantinho, manda beijo e diz: “até amanhã amore, nosso papo ainda não acabou!”rsrsr.


Segundo passo:
Nesse ponto dos acontecimentos é bom você ter um lugar beeeem espaçoso para a coisa render. Uma mesa grande ou no chão mesmo. Eu fico com a mesa, o chão é uma missão difícil para a minha pessoa...srs. 

Comece categorizando, o primeiro passo para qualquer organização, lembre-se. Faça pilhas por assuntos, para não precisar de 835 pilhas espalhadas por todos os cômodos da casa, alguns assuntos podem ser gerais e outros específicos, abaixo uma listinha para inspirar:

01- Banco: extratos, canhotos de cheque, controles de cartão de crédito e débito, informação para imposto de renda. Faça uma pilha para cada banco.

02- Documentos pessoais e certidões: carteira de identidade, CPF, título de eleitor e comprovantes, passaporte, carteira de trabalho e as cópias autenticadas (é sempre bom mantê-las por segurança).

03- Carro: seguros, IPVA e licenciamento, gastos de manutenção, multas, etc.

04- Escola: matrícula, boletos, gasto com uniforme e material.

05- Previdência Privada e INSS.

06- Imposto de renda dos anos anteriores

07- Água

08- Luz

09- Telefone e celular

10- Assinaturas de TV, revistas, jornais.

11- Casa: IPTU, gastos com reformas e manutenção, contratos de aluguel, condomínio, seguro.

12- Seguros pessoais

13- Holerites

14- Saúde: registros médicos como exames e receitas.

15- Animais: controle de vacinação, gastos com veterinário.

16- Recibos para dedução do IR.

17- Eletrodomésticos e eletrônicos: manuais e garantias.

18- Funcionários: contratos, recibos, guias de recolhimento (INSS, FGTS), atestados, fichas cadastrais, cópias de documentos.

Se você sentiu falta de alguma categoria, ou prefere ampliar o leque de opções porque é mais detalhista, é só abrir uma ou mais pilhas. Prenda tudo com clipes para não desorganizar novamente.

Terceiro passo:
Pegue cada pilha e organize tudo por mês e ano, deixando as mais antigas no fundo e as mais novas na frente. Assim você sabe, facilmente, de quando é o último documento recebido sobre determinado assunto. 



Quarto passo
Utilize a lista de “validade” abaixo como referência para avaliar o que você pode descartar. Não é necessário guardar tudo durante a vida toda. Por isso a organização por data, da etapa anterior, é importante. Agora, basta que você elimine todo o bolo de papel que estiver no fundo de cada pilha, referente ao período que não precisa mais ser guardado.

Guarde para sempre com muito cuidado e carinho:
01- Documentos pessoais
02- Certidões
03- Passaportes
04- Escrituras
05- Carnês do INSS
06- Holerites
07- Testamento
08- Inventário
09- Contrato de trabalho
10- Cartão do PIS
11- Carteira de trabalho

Guarde por 10 anos - um relacionamento longo, mas não eterno!
01- Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) e seu respectivo DARM 

Guarde por 5 anos - é um tempinho razoável, mas passa tão rápido!
01- Imposto de Renda de Pessoa Física (IRPF) e seu respectivo DARF.
03- Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA).
04- Comprovantes de pagamento de contas de água, luz, telefone, celular, TV por assinatura.
05- Comprovantes de pagamento de aluguel.
06- Fatura de cartões de crédito.
07- Comprovante de pagamento de mensalidades escolares.
08- Comprovante de pagamento de cursos livres.
09- Extrato bancário.
10- Comprovante de pagamento de convênio médico.
11- Comprovantes de pagamentos de honorários profissionais liberais.

Guarde por 3 anos - piscou passou!
01- Recibo de pagamento de aluguel
02- Recibo de pagamento de condomínio

Guarde por 1 ano, relacionamento passageiro e impessoal!
01- Contratos de seguro
02- Canhotos do cartão de crédito
03- Extratos bancários e dos cartões de crédito
04- Comprovante de hospedagem

Guarde por tempo específico:
01- Recibo de pagamentos das parcelas de imóveis: até que o registro da escritura seja feita no Cartório de Registros de Imóveis.
02- Nota fiscal de compra de bem durável: vida útil do produto.
03- Notas fiscais de produtos e serviços de bens não duráveis: trinta dias.

 Seja cuidadosa (o), descartar a papelada vencida ou sem utilidade, são documentos com informações importantes. Rasgue tudo para evitar problemas futuros! Tem gente que queima, não recomendo, é poluição demais e incomoda as pessoas. Uma saída é utilizar uma fragmentadora. Abaixo três opções com preços legais para você pesquisar, é só clicar nos links.

Fragmentadora de papel manual com manivela e cesto (veja aqui)


Fragmentadora de Papel 6fls em Tiras s/cesto 220V AS600S Aurora (veja aqui)


Fragmentadora de Folhas com Cesto 110V Multilaser (veja aqui)


Quinto passo:
Escolha seu caminho... Chegou a hora de organizar. Existem várias maneiras. Uma delas é digitalizar o que é possível, e assim, diminuir o volume de papéis. Para os adeptos da tecnologia é importante manter becapes. Os entendidos recomendam três opções diferentes para garantir, e você pode escolher as que estão de acordo com as suas possibilidades e necessidades: 

01- Armazenar no computador;
02- Pen drive;
03- CD;
04- HD externa;
05- Nuvem: Dropbox, One Drive, Google Docs, Evernote, entre outros pagos ou gratuitos.

Mas, nem todo o mundo gosta da versão digital, então vamos às dicas para organizar a papelada tradicional. Aliás, nem todo documento deve ser descartado após digitalizar, como contratos e seguros, “ooookeyyyy”.


Sexto passo: 
Escolha o seu estilo, avalie seu espaço e as possibilidades. Dificilmente se tem lugar para um arquivo de escritório, então, gaveteiros que encaixam em baixo da mesa; caixas legais que você organiza em prateleiras podem armazenar pastas suspensas, pastas com elásticos, ou com divisórias internas. Existe uma infinidade de modelos e usos. Lojas como a Kalunga, Leroy Merlin (a loja física é mais prática que a virtual), e a Tok & Stok, oferecem vááárias opções! Eu fico maluca em qualquer livraria e lojas como essas!  Atente para as dicas do sétimo passo, antes de sair comprando, tá!

Cada coisa em seu lugar! As pastas suspensas são as minhas favoritas, mas tudo depende de espaço e praticidade para o estilo de vida de cada um, então, você tem liberdade de escolher! Elas se encaixam em estruturas específicas que podem estar em gavetas ou caixas próprias que vão ao armário, ou ficam expostas, algumas são bem bonitas para isso!

As pastas comuns com elástico e com divisórias internas, estilo sanfonadas são legais para armários fechados e gavetas grandes que não possuem o sistema de pasta suspensa. Lembre-se de identificar o topo delas! As cores também ajudam, é possível escolher uma para cada assunto se o seu perfil é visual.


Sétimo passo:
Lembra a lista de categorias lá no início do post? Então, ela é uma ótima referência para, agora, guardar tudo, mas você também pode refinar essa categorização. Independente do tipo de armazenamento que você optar, sempre identifique. Etiqueta “tuddimmmm”!!! 

Pegue cada “chumacinho” de papel categorizado anteriormente e vá nomeando as pastas. Simples assim!

Dicas pulo-do-gato!

01- Para documentos importantes utilize gavetas ou armários com chave.

02- Se você tem espaço, utilizar pastas com os meses do ano é um jeito de controlar as contas a pagar.

03- Se o espaço está escasso, ter uma pasta sanfonada para os doze meses ou um suporte de mesa para as contas pode ser uma solução. Pagou... arquiva na pasta por assunto.

04- Se você não tem onde guardar as pastas use caixas coloridas ou sóbrias, conforme o estilo da sua casa, e aproveite para utilizá-las na decoração.

05- Cores são ótimas referências visuais e podem ser inclusive, exploradas nas etiquetas das pastas suspensas. Por exemplo, tons de azul para assuntos pessoais, laranja para trabalho, verde para saúde e assim por diante.

06- Se a pasta ficar cheia demais, separe em duas.

07- Todos os anos faça a revisão das datas,  descarte o que passou do prazo de armazenamento e transfira o que deve ficar para o chamado “arquivo morto”, mantenha no “arquivo ativo”apenas o material do ano vigente. 

O sistema perfeito e ideal de organização é o que se adéqua a você. Se estiver funcionando, relaxe e aproveite! 

Tem dúvidas sobre o tema? Pode deixar sua pergunta nos comentários!

Gostou do post? Ele foi útil para você? Então me ajude na divulgação do OHDECASAA compartilhando com as amigas na redes sociais! É só clicar nos botões de compartilhamento!

Beijos, beijos, beijos!!




Ôh de Casaa!! Store

Manifesto

Manifesto
Comprar de quem faz...

Instagram