Palavras do Coração

As árvores da minha vida

fevereiro 24, 2016

PALAVRAS DO CORAÇÃO

Um dia uma criança, hoje um passado de lembranças embaçadas, mas vivas e pulsantes de amores. Amores verdadeiros, de alma, coração e encanto. Avós, amores eternos. Lembranças alvoroçadas, tamanha lista de boas coisas para se lembrar. Detalhes escapam, mas o coração não precisa de descrições minuciosas para sentir. Basta o que o arquivo da vida libera.



Uma prova de fogo emocional. Primeiro a casa de uma avó e depois da outra. Uma vazia, abandonada e a outra intacta. Nenhuma delas facilitou a minha vida. Respirar fundo, controlar as lágrimas... foi só o que consegui pensar para não desabar.

Entro num quarto e o cheiro da minha infância vem sem dó, apesar da casa estar vazia. Vó, você está por aqui? Com certeza, dentro do meu coração e incrustada na minha alma. Respira! Uma, duas, três vezes e controle-se, ninguém mais precisa chorar com você. Divido apenas a emoção da lembrança, a saudade eu guardo lá no cantinho de mim.

Quantas vezes acordei com o conversê da família no quintal. Debaixo da árvore, sentados, batendo papo, me recebiam animados. Eu de cara amassada e sorriso de satisfação infantil pela melhor das recepções.  Ai que tempo bom, inocente e verdadeiro. A árvore, testemunha silenciosa dos meus momentos felizes, ficou lá, morando sozinha, mais do que deveria. Linda e dona das minhas lembranças. 

Olhei para cima e fui incapaz de pensar, apenas senti o quanto estava sendo acolhida e abraçada. Olhei em volta, o piso  engolido pelo mato. Apesar de intruso; gentil, surgindo aqui e ali em tufos, como a fazer companhia a irmã mais velha, a árvore.

Por favor, não cortem a árvore! Me dói o coração só de pensar!

E a vizinha tenta me fazer entender que, na prática, a árvore era um problema. Nem tive paciência de escutar. Para mim, na prática, essa árvore faz parte da minha história e de como eu vejo e sinto esta casa. Mas vai fazer um ser desprovido de apego emocional entender! 

A árvore e a casa: acolhimento, proteção, companhia. Uma sem a outra, a outra se a uma... não combina, destoa. Pedi: Pelo menos não cortem toda, não quero ver essa beleza e altivez resumidas a um conjunto de tocos tristes e dilacerados. Fui ouvida. A beleza se foi, os trinta e cinco anos também, restaram tocos e pequenos galhos. Graças aos céus, ainda tem um pouco de verde. Perdão. Foi só o que pude dizer. Nossa história foi interrompida. Eu, apenas cinco anos mais velha que você, e você tão gigantescamente linda. Tentei ser sua voz, mas não fui capaz de impedir que parte de você se fosse. 

A casa continua lá, esperando seu futuro. A vontade do lado de cá é preservar, a vontade do lado de lá é vender para lucrar. E assim, caminhamos. A árvore e a casa, sofridas pelo tempo, aguardam pacientemente por seus destinos e eu...

Entrei na casa intacta. A casa da avó que virou estrela há menos tempo (leia aqui). Cheia de plantas bem cuidadas, apesar da ausência da dona da casa. Carinho é assim, preserva.  Caminhei cautelosamente, minha primeira visita depois de sua mudança para o lado de lá. Difícil!! Sala de costura vazia, cada cadeira em seu lugar e nenhuma bagunça na mesa de trabalho. A casa limpa e organizada, mas vazia de tudo, do mais importante, a dona do pedaço. É fato, a galera preferida da minha torcida particular está em outras paragens. Uma turma da pesada que faz uma falta tremenda.

Fiquei olhando para cada pedaço daquele lugar. Não quero abrir mão de nada que tenha o que dizer. Avô serralheiro e bordadeiro e avó costureira, quanta coisa linda para virar história de família. Para quem nunca teve raízes, mudando de lá para cá, objetos e móveis são âncoras e eu quero garantir as minhas, as nossas. O mais difícil? Descaracterizar a casa. Cada coisa que muda de lugar ou sai de lá, é como se desvincular dos laços... difííícil.

E aí, vamos saindo. Está na hora de pegar a estrada. Na frente da casa, outra árvore. A pitangueira, essa provavelmente com boa audição. Muitas conversas e elogios da dona da casa e ela frondosa e bonita. Árvore pequena, mas cheia de frutas, uma festa para os passarinhos. Nesse dia? Nada de pitangas cutucadas, uma mais linda que a outra. Elogiei, sugeri que minha mãe aproveitasse, pegamos algumas poucas e lindas pitangas, segundo ela, deliciosas também. Comentamos o quanto minha avó gostava da pitangueira e voltamos para casa. 

No dia seguinte o telefone toca. Pouca coisa sobrou da pitangueira. Despedimos-nos sem saber. Um carro e ponto, nada do que possa ser dito ou justificado mudará o fato da pitangueira não estar mais lá. As árvores da minha vida se foram, ou parte delas. Quem sabe os brotos que possivelmente surjam, possam continuar contando histórias? As minhas dependerão apenas dos meus neurônios. Mas para garantir, escrevo o que o coração manda. 

Beijos, beijos!!!

Recomendo

Cantando na Chuva – Filme

fevereiro 20, 2016

RECOMENDO

Faz muuuuto tempo que penso em trazer este filme para o blog. Perdi a conta de quantas vezes coloquei esse DVD para rodar... adorooo!!! Como no “Editorial de 2016” falei que queria diversificar, postando um pouco mais sobre filmes, especialmente os musicais clássicos, decidi começar com o pé direito. Para mim é o primeiro da lista: “Cantando na Chuva” (“Singing in the Rain”, no original), o clássico dos clássicos!!!



O filme ambientado no ano de 1927, capita um momento de crucial transição do cinema mudo para o falado. Don Lockwood (Gene Kelly) e Lina Lamont (Jean Hagen) formam o casal queridinho de Hollywood até que, o surgimento da nova tecnologia os obriga a lidar com a dura realidade: a voz estridente de Lina Lamont que, além disso, também não sabe cantar.







A corista Kathy Selden (Debbie Reynolds) se transforma na salvação da pátria depois de conhecer o bonitão e charmoso Don Lockwood durante uma fuga de fãs enlouquecidas, ao cair quase de paraquedas, no carro de Kathy. Kathy passa a dublar Lina Lamont, após muitas outras tentativas frustradas de captação das vozes dos atores, que por sinal, são trechos muito divertidos do filme. 




E claro que eu não poderia deixar de falar de Cosmo Brown (Donald O’Connor) que é simplesmente esplêndido dançando, com suas acrobacias divertidas e absurdamente exatas, quase ofusca nosso galã Gene Kelly. A cena clássica de Don Lockwood dançando e cantando na chuva é divinamente envolvente e emocionante, e merece o primeiro lugar na lista das cenas “mais mais”; sua leveza e a sensação de flutuar de amor são contagiantes. Mas também devo dizer que as cenas de Cosmo são extremamente empolgantes! 

Andei pesquisando para trazer para vocês algumas informações extras








01- Gene Kelly é o coreógrafo da sequência “Cantando na Chuva” e “Broadway Ballet”, quando contracena com Cyd Charisse, divina. 




02- Dizem que o véu, gigantesco, usado por Cyd Charisse, manteve-se lindamente esvoaçante graças a três motores de avião. 





03- “Cantando na Chuva”está em décimo lugar na lista dos melhores filmes dos últimos tempos (American Filme Institute). 



04- O filme recebeu o “Golden Globe Award” de melhor ator cômico para Donald O’Connor e indicação para o Oscar de melhor atriz coadjuvante para Jean Hagen e também para a trilha sonora. 

05- O roteiro do filme foi construído apenas após a escolha das músicas. 





06- “Cantando na Chuva” foi o primeiro trabalho de Debbie Reynolds no cinema e ela tinha apenas 18 anos. 

Um filme memorável, com sequências inesquecíveis, um marco do cinema Hollywoodiano que merece a posição que ocupa. Emocionante, divertido, encantador; retrata um momento do cinema que, na realidade não foi nada fácil, mas eternizado com poesia em “Cantando na Chuva”. Uma pena não termos mais essa magia no cinema atual! Vale cada minuto!

Ficha técnica

Título Original: “SINGIN IN THE RAIN”.
Gênero: MUSICAL
Duração: 118 MIN.
Ano: EUA (1952)
Um filme de : METRO – GODWYN – MAYER (MGM)
Direção: Gene Kelly / Stanley Donen
Roteiro: ADOLPH GREEN E BETTY COMDEN 
Produzido por: ARTHUR FREED
Roteiro: Betty Comden e Adolph Green
Fotografia: Harold Rosson
Elenco: Gene Kelly (Don Lockwood), Debbie Reynolds (Kathy Selden), Cyd Charisse (Danarino), Donald O’Connor (Cosmo Brown), Jean Hagen (Lina Lamont), Millard Mitchell (R.F. Simpson), Douglas Fowley (Roscoe Dexter), Rita Moreno (Zelda Zanders), Madge Blake (Dora Bailey)


Gostou do post? Então me ajude na divulgação do ohdecasaa compartilhando com os amigos nas redes sociais! 

Quer dar a sua opinião? Use e abuse dos comentários! Quer dar sugestões e pitacos? Também pode!!!Se quiser acompanhar o blog é só assinar a newsletter e receber todas as postagens em tempo real. Aviso aos navegantes: não envio spam.]

Beijos, beijos!!





Palavras do Coração

Fim do horário de verão – inté mais, bem!

fevereiro 18, 2016

PALAVRAS DO CORAÇÃO

A maior comoção do ano costuma ser quando começa o horário de verão. Aumentar a carga horária de trabalho do nosso amigo Sol pode ser bom para uns e coisa dificultosa para outros. Tem gente que ama e tem gente que odeia. Tudo bem, cada pessoa é um universo particular com seus hábitos e costumes, porém... não tem escapatória, tem que se adaptar.

Eu adoro o horário de verão. Acordo cedo, ainda escuro e curto um monte ver a luz do dia aparecendo. O dia mais longo, depois que o corpo acostuma é bem legal, dá a sensação de que, apesar de ter trabalhado o dia todo, ainda tenho tempo para um pouco de diversão, afinal, o dia ainda não acabou!!! 


Maaaassss... Amanhã acaba a brincadeira e voltamos à vida normal, reajustamos o relógio e devolvemos o tempo roubado da Lua.  A maior vantagem é a sensação de que ganhamos uma hora de sono. Para quem desconjura o horário de verão, é dia de soltar rojão! 

Para mim é sinal de que o outono está a caminho e eu amo o outono. As noites mais fresquinhas trazem uma vontadinha de tomar um vinhozinho (tudo no diminutivo para combinar com a minha pessoinha encolhidinha debaixo das cobertas).

O segredo de tudo é aproveitar o melhor de cada momento. Com ou sem horário de verão, sempre rola uma vantagenzinha bááásica. Para os “praieiros”, o dia acabar mais tarde libera mais tempo de bate papo na areia e pés na água. Para os baladeiros, a noite com o tempo que lhe é de direito, não dá a sensação de estar indo para um happy hour ou uma matinê

E apesar da diversidade de opinião sobre o assunto, andei lendo por aí sobre uma pesquisa que diz que 70% dos brasileiros apoiam o horário de verão. Bem, não me lembro de onde vi esta informação, e também não sei se é real ou maquiagem para manter a decisão.  O que sei é que há uma grande divisão de opiniões. 

Pra mim, tá tudo certo. Com ou sem horário de verão, após os meus 10 dias de adaptação (foi o que precisei este ano) eu sigo em frente e beleza! E acho que esse é o segredo, aproveitar o que tem de melhor em cada momento, ao invés de sofrer, bater o pé e se revoltar por “perder” uma hora de sono.

Qualidade em primeiro lugar: vamos viver do melhor jeito o dia mais longo que o Sol nos dá e depois que acaba, a gente acena com o lencinho e diz: “Inté mais, bem! Foi bom enquanto durou, nos vemos no final do ano!”. Xaummmm!!!

E você? O que acha do horário de verão? És a favor ou contra? Deixe seu comentário logo abaixo! Diga o que acha e como aproveita os dias mais longos do ano!

Beijos, beijos!!


Arte e Design

Móvel de Design - Post 01

fevereiro 16, 2016

ARTE & DESIGN

Hoje é dia de inaugurar um novo subtema no departamento de Arte e Design aqui do blog, o “Móvel de Design”. Também poderá, um dia quem sabe, rolar o “Objeto de Design”, mas cada coisa ao seu tempo e chazinho de maracujá pra curtir tudo com muita calma!



Para começar com chave de ouro, espia essa linha de móveis inspirados nos animais da fazenda e com cara de caixa de armazenagem. Um misto de aconchego com linguagem industrial.



A vaca, o móvel maior dos três e com mais espaço interno, funciona bem como aparador. Bom humor na veia!!!  




O porco e o ganso, também com espaços para guardar coisinhas, são menores e ficam bem como mesa de cabeceira, mesa lateral na sala com um abajur legal ou como um móvel complementar num cantinho necessitado de personalidade. 

Gostou do post? Então me ajude na divulgação do ohdecasaa compartilhando com os amigos naS redes sociais! 

Quer dar a sua opinião? Use e abuse dos comentários!Quer dar sugestões e pitacos? Também pode!!!

Beijos, beijos!!



Palavras do Coração

Comida natureba x restaurante caidinho

fevereiro 12, 2016

PALAVRAS DO CORAÇÃO

Estou almoçando em um restaurante vegano em Campinas enquanto escrevo este texto. Um oásis gastronômico para minha, nem tão recente descoberta, restrição à lactose. Não importa o que meus olhos captem no Buffet, posso comer tuuudoooo sem ter que perguntar para o garçom ou garçonete do que é feito. E me esbaldo gente, de verdade!!! 



Após minhas andanças de trabalho, acabei chegando super cedo e abri o Buffet com essa minha fome meio inglesa... Pontualíssima! Onze e meia da manhã, paradinha no estacionamento ao lado, batendo uma prosa enquanto aguardava o abrir das portas do paraíso... comidaaaa! RS.

Enquanto me servia meio distraída, cozinhando uma dúvida cruel entre a carne de soja e a lasanha vegana, um movimento chamou-me a atenção. Num impulso olhei para a porta e dei de cara com um rosto conhecido. Dê início, num ímpeto, quase abri um sorriso simpático para cumprimentar; segundos depois, sorriso desarmado e eu fingindo que nem tinha visto ninguém...kkkk!!! Meus neurônios do reconhecimento não foram tão rápidos quanto meu impulso e quase cumprimento alguém que não conhecia, ao menos não pessoalmente. 

Que coisa mais estranha é dar de cara com uma pessoa da mídia e que, apesar de ter uma imagem conhecida, não é bem o que podemos chamar de famosa. Aí, você fica no meio do caminho: conheço essa criatura, mas não sei de onde! Será uma apresentadora da MTV, uma atriz de programa da TV a cabo... ui... melhor fingir que nem captei a presença deste ser meio conhecido, meio anônimo. Bem, também não sou uma fã assídua de TV, estou sempre por fora. Provavelmente alguém um pouco mais atualizada neste seguimento saberia quem era.

Não a abordei lógico, não sou do time das fotos e autógrafos. Não que nunca tenha pagado esse mico, aliás, com muito orgulho, uma vez consegui um autógrafo do Arq. Oscar Niemayer, mas... escafedido, sumiu, desapareceu... céus, onde foi parar??... melhor deixar para lá antes que algum colega de profissão me de umas broncas!!! E claro, como eu poderia esquecer, uma foto com a Pepa... kkkk, passeio com a sobrinha, abafa!!!!

Pois é, a questão aqui é muito profunda, na verdade eu aproveitei o acontecido para discorrer sobre o restaurante. Gente, aí vai a pergunta que paira no ar: por que todo restaurante natural, vegano ou vegetariano é feio e com cara de sujinho? Que regra é essa de que comida alternativa é sinônimo de restaurante caidinho? E olha só que até gente conhecida frequenta, mesmo que eu não saiba quem é....rs.

Outro dia estava com minha mãe neste mesmo restaurante (convencida depois de muitas tentativas frustradas) e encontrei uma amiga (com o marido)... fomos unanimes, a comida é boa, mas o lugar está o Ó!!! Ela até sugeriu que fizéssemos uma proposta de revitalização em conjunto: eu, ela e mais um colega. Podíamos fazer uma permutinha básica: o projeto por algumas refeições na faixa, que tal?

Eu adoro comida vegana, apesar de não ser uma opção de vida ainda. Bem que eu gostaria, mas tem que aprender, né gente! E eu nem cozinheira do arroz com feijão sou. Mas, já fico feliz quando posso curtir um restaurante com essa vibe e claro, sempre que posso arrasto alguém... só que não!!! Quem é que vai se convencer entrando num ambiente caidinho? A comida já é uma novidade para a criatura arrastada, e aí chega lá e vê aquele lugar com cara de “enfiei aqui umas mesas e cadeiras, pintei as paredes com a tinta que sobrou da reforma do vizinho, e o piso que faltou?... Ninguém vai perceber vá...” afff.

Já pensei várias vezes em puxar um papo sério com a moça do caixa (acho que é sócia) ou com o dono do restaurante sobre esse assunto, mas cadê a coragem? É dureza! É como virar para alguém e dizer:  “Ó... melhor voltar para casa e trocar de roupa, roupinha de balada com  havaianas encardidas num dááááá”. Vamos combinar que são bons conselhos, mas dependendo da pessoa vai lhe custar alguns anos de terapia.

Pois é, nunca consigo levar qualquer recém - apresentada (o) a segunda vez, e eu venho me perguntando:  como será a cozinha? Melhor deixar para lá, né não?! Deve existir outros restaurantes veganos bonitinhos e com preço justo, mas eu não conheço. E aí... onde vou comer bolo com calda de chocolate sem lactose???? #tristeza.

Beijos, beijos!!!


Decoração

Mármore ou Granito?

fevereiro 10, 2016

DIÁRIO DE OBRA

Óh dúvida cruel! Você entra na loja e fica sem fôlego ao se deparar com tantas opções de cores e desenhos. Aponta para aquela peça do mostruário que parecia estar te paquerando desde o momento em que pôs os pés ali e acha que resolveu seu dilema. Aí, o vendedor te olha com cara de “ihhh deu zica” e diz meio timidamente (se não for do tipo dono da verdade) que essa pedra não é recomendável para o que você precisa. 

Todo o mundo sente a mesma coisa quando se identifica com algo, mas se vê obrigada(o) a continuar a busca. Nada visto depois será exatamente o que você quer... frustrante!


As pedras podem causar um efeito assim, pois cada qual tem suas características próprias que se adaptam melhor a determinado uso ou local. Então, hoje vou tentar ajudá-la(o) a entender essas diferenças e usos entre o mármore e o granito, duas pedras muito utilizadas na construção e que certamente fará parte da sua vida se estiver construindo (dá uma espiada no Diário de Obra) ou reformando.


01- Dureza:

O mármore quebra facilmente, pois sua dureza é considerada baixa. É rocha composta por minerais carbonáticos como calcita (mineral de dureza 3 na escala de Friedrich Mohs) e dolomita. 

O granito é rocha ígnea, não carbonática, composta por minerais como mica, quartzo e feldspato, esses dois últimos são minerais de dureza 7 e 6 respectivamente, duas vezes mais duros e resistentes aos riscos do que a calcita (mármore).


02- Aparência:

Pedras naturais, ambas são rochas ornamentais por serem passíveis de polimento e largamente utilizadas na construção civil.

O mármore possui veios contínuos e marcantes que transformam sua superfície em um show à parte, por sua beleza plástica.

O granito, de forma geral, é visualmente composto de vários pequenos pontos e manchas coloridas dissociadas, bem diferente dos veios do mármore.

Para facilitar a identificação é só riscar a superfície com metal. O Mármore risca e o granito não.


03 – Resistência:

O mármore possui baixa resistência a agentes químicos, abrasão, riscos, impacto e tráfego.

O granito é considerado material de alta resistência quanto a impacto, tráfego, abrasão, riscos e agentes químicos.



04- Absorção:

O mármore caracteriza-se pelo alto nível de porosidade e médio a alto grau de absorção.

O granito é material de baixa porosidade e baixo grau de absorção.


05- Aplicação:

O mármore, por sua sofisticação e beleza, costuma ser bem empregado em lavabos, banheiros, frente de lareiras, escadas e paredes. 

O granito é indicado para áreas internas e externas, cozinhas, banheiros, lavanderias, churrasqueiras, espaço gourmet e ambientes comerciais; em parede e pisos. 

Não é exatamente uma regra rígida e sim uma sugestão do que se adapta melhor a cada situação; porém, para ousar, é preciso ter conhecimento suficiente sobre o material e seu destino.


06- Vantagens:

As vantagens do mármore:
- Beleza e sofisticação;

As vantagens do granito:
- Material de maior dureza;
- Mais resistente à absorção de água;
- Melhor resistência à abrasão;


07- Desvantagens:

As desvantagens do mármore:
- Material poroso e mole, desgasta rápido;
- Sensível aos ácidos, pode adquirir manchas sob a ação de vinagre e limão, por exemplo;
- Sensível aos produtos de limpeza, pode perder o brilho;
- Sua porosidade retém a sujeira, não sendo um produto muito higiênico para cozinhas.

As desvantagens do granito:
- Em comparação aos mármores, não possui um efeito visual tão sofisticado.


08- Conservação:

Apesar de o granito ser mais resistente que o mármore, os cuidados são os mesmos para ambos, pois “com o tempo”, o que desgasta o segundo, também será a ruína do primeiro.

- Diariamente, use pano úmido com apenas detergente neutro e incolor ou sabão neutro;

- Nunca utilizar produtos corrosivos: água sanitária, ácido muriático, (pode reagir com o ferro da pedra e facilitar o surgimento de manchas) etc.;

- Remover rapidamente óleos e gorduras;

- Pode ser usado hidrorrepelente para ajudar a proteger quanto às manchas.

- É possível recuperar o brilho de ambos com a contratação de firmas especializadas que trabalham com processos químicos de cristalização e polimento.



Pra você não ficar tão perdida(o) na hora de decidir sobre os acabamentos, um painel ilustrado. Melhor que fazer mímica na hora de explicar não é?!

A fase de acabamento na construção é muito dispendiosa e a mais tentadora também. Antes de partir para a escolha definitiva, pense no conjunto da obra, as pedras são apenas uma parte do todo. Avalie sua planilha de despesas e converse com quem entende, para que você possa abrir mão ou investir no que realmente fará diferença no resultado final.



09- Instalação: 

E lembre-se, algumas empresas vendem o produto com opção de instalação ou não. A vantagem de fechar negócio com a instalação no pacote é que a responsabilidade por qualquer problema ou trabalho mal feito será da própria empresa que forneceu o produto, por isso, pode sair um pouco mais caro.

Se você optar em contratar outra pessoa ou passar a bola para o seu pedreiro para economizar, esteja certa(o) de que ele dá conta do recado. Essa é uma situação de risco, pois se a pedra quebrar durante o processo ou ficar mal instalada, não existirá responsável e, provavelmente, você se verá no meio do jogo do bobo, no qual cada um empurra a bola para o outro. Ninguém quer ficar no prejuízo, mas alguém terá que tomar uma atitude e pôr a mão no bolso novamente...você.

Assim, fique atento aos gastos, mas cuidado com a economia de risco e boa obra!!

Gostou do post? Ele foi útil para você? Então me ajude na divulgação do ohdecasaa compartilhando com os amigos na redes sociais!

Tem dúvidas sobre o tema? Pode deixar sua pergunta nos comentários! Quer dar sugestões e pitacos? Também pode!!!

Beijos, beijos!!








Bem Estar

Dicas para um Carnaval sem arrependimentos

fevereiro 05, 2016

BEM ESTAR

Eu sou do tipo que se enfia em casa e descansa quando chega o Carnaval. Sou meio avessa a excesso de pessoas, fila, muvuca, agitação. Prefiro a tranquilidade. Mas se você é da galera que se prepara o ano todo para aproveitar a animação e a energia deste período tão esperado por brasileiros e estrangeiros, este post é para você. Então... vem comigo!


Dicas para você curtir o Carnaval sem se transformar num farrapinho cheio de ressaca e neuras. É né?! Melhor se cuidar do que se arrepender depois, né não?! E aí passar uma quarta- feira de cinzas tranquila (o) e sem dor de cabeça...



01- Alimente-se bem de manhã. Se você vai passar o dia na gandaia, curtindo trio elétrico ou participando de blocos, é legal tomar um café da manhã caprichado com proteína e carboidrato. Dizem que o café da manhã é a refeição mais importante do dia e eu levo isso a sério! Café da manhã é o que mantém a gente em pé e com a fome organizada para o resto do dia. Capricha!


02- Hidrate-se. Além do calor, a agitação colabora com a desidratação. Garrafinha de água coladinha em você e muitos sucos e frutas durante o dia. Aaaamores, bebida alcoólica não hidrata (nem refrigerante), portanto, se você precisa “calibrar” para se divertir, não exagere, ninguém quer carregar você por aí e passar o carnaval no hospital tomando injeção de glicose, nééé!!! Na versão mais equilibrada da coisa, intercale o álcool com água para cuidar do seu fígado e dos seus neurônios!!!rs. Água de coco é top para isso, mas anda meio carinho... fica a dica. 


03- Glicose equilibrada. Passar o dia ou a noite toda balançando o esqueleto gasta energia e, provavelmente, parar para comer será missão quase impossível. Carregue com você barrinhas de cereais e aqueles envelopinhos individuais de bolacha salgada. Maçã também dá para carregar sem neura. 


04- Refeições leves. “Vó” costuma falar que para ter energia tem que comer muito ou algo “sustancioso”, mas cuidado, comidas pesadas e fortes levam mais tempo para digerir e aí vem o segredo: digestão pesada dá sono... hum!!! Vai dormir ou vai curtir?? Então, comidinhas leves como saladas, legumes, frutas e carnes magras são o segredo da energia. Carboidrato de pães integrais também é uma boa ideia! Dá para fazer um sanduiche maneiro com tudo saudável! O ideal é alimentar-se de 3 em 3 horas... nem é tão complicado assim, 3 horas de folia e o corpo vai pedir um tempinho de respiro, aproveita e come!


05- Bebidas alcoólicas. Prefira as lacradas como a cerveja e verifique se a embalagem está intacta (tome o mesmo cuidado com tudo que consumir). Batidinhas e outros drinks, se feitos em lugares que você confia, beleza, ao contrário, podem ser de qualidade suspeita e quem vai tirar a prova dos nove é o seu fígado. De qualquer forma, não exagere! Afinal, de que adianta se divertir se depois você não vai se lembrar???heeeeein???


06- Roupas leves. Essa é fácil, afinal, vivemos num clima com mais calor do que frio e já sabemos: roupas leves e sapatos confortáveis – tênis, sapatilhas ou rasteiras. O calor é intenso e nosso “corpitcho” precisa respirar! Abuse também de bonés, chapéus e óculos escuros. Evite o sol direto ou vai rolar uma insolação e aí “babau” carnaval!
!


07- Documentos e “dindin”. Carregar bolsa é o “óh” quando o negócio é curtir. Desapega dos excessos e aproveita os bolsos que você tem na roupa ou use aquelas bolsinhas que ficam escondidas no cós da calça. Guarde ali o principal, seu documento (é possível carregar apenas a carteira de motorista) e o seu rico dinheirinho. Deixe uns trocos de fácil acesso e o resto fica na bolsinha. Se optar por carregar o celular no bolso, esteja sempre atenta (o); outra possibilidade é uma bolsinha só para ele, e aí você carrega o celular da mesma maneira que carregaria uma máquina fotográfica. Todo cuidado é pouco, malandro também pula carnaval.... :(


08- Sem carro. Em épocas festivas como réveillon e carnaval o trânsito fica impraticável e as blitz intensificadas, portanto... “vai de táxiii, cê sabe...”rsrs. Os taxistas conhecem a cidade, o trânsito e você pode beber se quiser. Aliás, é possível pegar um cartão e combinar com o mesmo taxista o retorno, ou utilizar sempre a mesma empresa. Mais segurança e responsabilidade!



09- Diga não à violência. Tem gente que exagera e vira o dono do pedaço, não tem muito o que fazer, deixa para lá e sai de perto. Vamos cultivar a paz e a gentileza. Se você se doer, pode se meter numa fria. Parta do princípio de que você não sabe com quem está lidando, vai que, além de “bebaço” o cidadão é descompensado? Foge bem e vai ser feliz!!!


10- Proteja-se: da dengue, do sol , das doenças sexualmente transmissíveis e das gripes. 

Use: repelente, protetor solar, camisinha e lave constantemente as mãos. Parece neura? É não!!! Com um mundaréu de gente junta, que você não sabe quem é e nunca viu, não se cuidar é uma roleta russa. Quer contar boas histórias sobre o carnaval ou quer se arrepender para o resto da vida? 




11- Seja educado. Utilize as latas de lixo, não jogue latas de bebidas e restos de comida pelo chão, respeite a cidade e seus moradores.




12- Diga não ao preconceito de todos os tipos, seja inteligente. Religião, aparência, opção sexual, cor da pele, idade, sotaque, opinião... As diferenças enriquecem a convivência, a cultura e o povo! 



13- Atenção com a criançada. Não perca os pequenos de vista e por segurança, anote o nome deles, o seu e um número de contato em um papel e coloque no bolso dos pequenos, ou diretamente na roupa. Mantenha-os próximos e de preferência divirta-se em família em locais mais seguros e controlados, muvuca nuna é boa opção com criança por perto.




É isso aí pessoal!!! Desejo a todos, daqui do meu cantinho calminho, um Carnaval divertido, alegre, de pura curtição, porém saudável, consciente e na mais pura paz!!!!

Gostou do post? Ele foi útil para você? Então me ajude na divulgação do ohdecasaa compartilhando com os amigos nas redes sociais! 

 Tem dúvidas sobre o tema? Pode deixar sua pergunta nos comentários! Quer dar sugestões e pitacos? Também pode!!!

Beijos, beijos!!

















Decoração

Festa de aniversário Mikey e Minie

fevereiro 04, 2016

DECORAÇÃO

Quando a sobrinha serelepe nasceu, o pai prometeu que só iria fazer aniversário de um aninho para comemorar o início de vida da lindeza e depois... só aos cinco anos.... anrãããn... Melhor não contrariar, néééé!!! Rsrs.



Todos os anos ela pede o tema sem nem mesmo ter noção clara de tempo, se o dia dela é em uma semana, um mês ou seis, a animação começa bem cedo e a titia já fica a mil. Em algumas ocasiões os pais optaram por Buffet, mas tive a oportunidade de preparar uma das festinhas dela no modelo tradicional, em casa mesmo, em 2014.

Eu estava ensaiando abrir um subtema para festas, além das datas comemorativas (veja a páscoa aqui) e decidi começar em 2016, quero trazer muitas novidades para vocês este ano, neurônios a toda!!

O tema, como já deu para sacar, foi o Mikey e a Minie. Ela ganhou o casal de bonecos da bisa e aí não arredou o pé. Foi legal, pois na época eu estava fazendo um quartinho de gêmeos, um casalzinho lindo de babies e aproveitei a pesquisa para as duas coisas. Uma overdose fofa de Disney..rsrs.

É bom frisar que morar em cidade sem muitas opções limita um pouquinho e aí o que conta é a criatividade!


A montagem da toalha foi o casamento da trena, fita métrica, planejamento e sola de sapato. A mesa, muito grande, precisou de três toalhas, duas vermelhas lisas e a branca de poá vermelho no centro. Aproveitei um problema e defini o layout da mesa. O detalhe que parece cinza na imagem é um tecido listrado de branco e preto. Os laços para o acabamento precisavam ser mais largos, mas não achamos.


A mesa foi montada simétrica, com um boneco de cada lado e no centro o bolo, que só foi colocado na hora dos parabéns. Amiguis... o bolo cenográfico estava fora do orçamento, mais caro que o bolo “dilícia” que foi o deleite da galera!


Encomendamos os brigadeiros tradicionais e casadinhos com uma amiga de mamis que tem mãos de ouro para guloseimas de festa!!! Também tinha suspiro, maçãs do amor, confete e copinhos com doce de leite cobertos de confeitos de arroz, aqueles que a gente põe no sorvete, adoroooo! 

As bexigas coladas no teto foram o toque extra, amarradas com fitilhos, foi a mesma coisa que falar “criançadaaaa!Puxa tudooo mesmo!” rsrsr. Mas tudo é festa e depois foi uma bagunça usar o gás para falar e rir!!! Abafa! 


O nominho dela na parede de fundo eu fiz com cartolina preta e a nuvenzinha de pensamento da Minie: duas cartolinas amarelas.  Aliás, foi a primeira coisa que fiz e a partir daí decidimos o restante. 



No balcão, oposto a mesa espetinhos de gominha colorida, brigadeiros, maça do amor e as lembrancinhas. Adoro gérberas e aproveitei o apelo lúdico delas e acrescentei na mesa principal e no balcão. Pequenos detalhes que dão outro visual.



Espia o bolo! Nhami!!! Rsrsr. E o docinho da tia brincado com o palhaço Balu! Pura alegria, a criançada adorou! E eu, que adoroooo decorar festa, me diverti mais preparando tudo! Amo muito tudo isso!!!

Gostou do post? Ele foi útil para você? Então me ajude na divulgação do ohdecasaa compartilhando com os amigos nas redes sociais! É só clicar nos botões logo ali abaixo! Tem dúvidas sobre o tema? Pode deixar sua pergunta nos comentários!Quer dar sugestões e pitacos? Também pode!!!

Beijos, beijos!!

Editorial

“Vem ni mim” Editorial 2016

fevereiro 03, 2016

SOBRE O BLOG

Eu quero tudooo, tudiiim para o blog este ano!! Tá achando exagero? Pode ser, mas querer, segundo a crença popular, é poder!! Então, quero poder muito por aqui em 2016 e não vejo nada demais “gentem”, afinal, a vontade é mãe da realização, “né não”??!


Passei o ano de 2015 avaliando minhas escolhas para o blog e vendo o que funciona e o que não funciona. Também andei xeretando por aí blogs que eu gosto, sigo e estudando o que a galera do bem quer ver na blogosfera. Cheguei a muitas conclusões; algumas estão ao meu alcance e outras não. É meio frustrante perceber que tem coisa que não vai rolar, mas apesar disso, quero o melhor possível por aqui e vou querer tudo o que minhas mãozinhas imaginárias puderem alcançar para vocês curtirem no ohdecasaa!


Lista de coisas impossíveis (até este segundo... nunca se sabe!!):

01- A versão atual do blog está em andamento há dois anos e meio. Muitas conversas aconteceram, muitas promessas de que tudo seria do jeitinho que esta pessoa que vos fala sonhou, que logo estaria pronto e o que não estivesse legal poderia ser repensado, até chegar a versão ideal. Pois é... Se ficar zeradinho até fevereiro, será o primeiro milagre da minha lista de “querer” para o blog...

A questão aqui é que, um ano se passou desde que o blog recomeçou (mesmo sem estar 100% pronto) e eu já saquei muitas coisinhas que não funcionam, como por exemplo: apenas uma postagem na página. Você abre, lê e se não rolar para ver a lista de “Assuntos Relacionados” (que nem sempre está coerente) e rolar mais ainda para ver a listinha numérica indicando que tem muuuuito mais textos para ler, você cai fora da página rapidinho. Eu queria a versão com postagens seguidas, mas cansei de pedir e deixei quieto. 

02- Aliás, abri mão de muita coisa para que o tempo de espera não fosse maior ainda. O cabeçalho é um deles. Ficou legal sim, mas não era o que eu queria, foi uma versão que sugeri de fácil execução para que, mais uma vez, as coisas não parassem por tempo demais. 

Bom... dois itens já estão de bom tamanho (ou este post vai virar o muro das lamentações! “Naum” pode!!!), não quero chorar as pitangas, mas quero que vocês, leitores queridos, saibam que, assim que possível, muitas mudanças acontecerão. Apenas não tenho condições de saber quando...hum... fé!


Agora, vamos ao lado bom da vida do ohdecasaa! Minha visão do que pode ser melhorado  para a nossa casinhaa ficar ainda mais aconchegante.

01- Frequência das postagens. Toda (o) blogueira (o) sabe que, quanto mais postagens melhor, e também tem consciência de que não vale postar todos os dias, no esquema “meia boca”. Posts diários e com qualidade é a conquista do Everest no universo “bloguístico”. Eu quero!!! Rsrs. Mas também sei que não dá para controlar. Por enquanto, sei que os finais de semana continuarão como descanso. Agora a família está vivendo a versão “pacote completo”; mora tooodooo mundo junto e, portanto, o final de semana é da sobrinha! Quanto ao restante da semana, minha bola de cristal (experiência) diz que haverá semanas completas, semanas com postagens intercaladas, semanas com um dia de eco, mas com certeza todo o conteúdo muito caprichado. ;)

02- Datas especiais. Consegui!!!! Essa foi uma conquista ensaiada durante todo o ano de 2015, organizar de forma a levar em consideração as datas comemorativas. Meu caderninho de planejamento está a todo vapor, com calendários, listas, ideias e controles... orgulhosa de mim e seguindo para 2016 assim... empolgada por demais da conta!!! 

03- Utilizar as estações do ano. Desde o início tive essa vontadinha de dividir o ano de acordo com as estações, porém, até então, não sabia bem como. Ainda não estou certa de como farei, vou construir a ideia durante o processo. O que já defini é que cada uma terá uma cor inspiração, um tema e que, na medida do possível, os conteúdos estarão relacionados a elas. Mãos à obra e criatividade em ação!! Um “dasafiii” porreta de bom!!! Ahhh... a cada editorial da estação eu conto “prô cêis”o que será, “cumbinadinho”?!!! 

04- Tudo levinho. Ainda quero manter minhas intenções sobre uma vida mais leve (leia aqui), apesar de já ter sacado que é, praticamente, missão para Tom Cruise, euzinha não vou desistir. Oh coisa complicada! Mas eu QUEROOO!! Para mim, para o blog, para todos nós!!! É uma querência que não tem volta!


Quanto aos conteúdos:

Decoração: Além dos temas que tenho vontade de escrever, quero voltar a fazer montagens sobre Moda x Decoração. Fiz isso por um tempo na minha página do face antes da inauguração do ohdecasaa; o pessoal curtiu muito, mas agora quero fazer dentro do blog. Ainda vou definir a frequência desse conteúdo e se terá dia certo na semana. Não quero fazer algo mais ou menos e tudo que é bem feito demanda tempo. Também quero acrescentar postagens mais rápidas sobre dicas legais e boas ideias, intercalando com postagens mais complexas/completas.

Organização: Quero somar às dicas de organização, dicas de limpeza também. Dicas rápidas e práticas para facilitar a sua vida. Afinal, poucos são os que podem manter uma funcionária fixa para cuidar da casa e, mesmo os que ainda mantêm uma contratação semanal, acabam precisando fazer a manutenção diária, o que pode ser cansativo e desgastante. Vamos simplificar e descobrir os segredinhos?

Arquitudo: O “Diário de Obra” vem bombando e por isso, continuarei me dedicando a ele com muita atenção. O conteúdo desse subtema é voltado para quem quer construir, para facilitar o caminho, oferecer conhecimento e assim promover escolhas mais seguras. Minha outra intenção é também “pacificar” as relações entre profissionais e proprietários. Muitos problemas são gerados por falta de conhecimento e informação. Obra não é fácil, mas com boa convivência, dói menos!

Arte e Design: As postagens sobre artistas continuarão, mas também quero fazer postagens menores sobre móveis e objetos de design; peças inspiradoras ou sacadas inteligentes e simples, às vezes sem uma assinatura, mas que tem tudo de super criativo e bem resolvido. 

Faça Você Mesmo: Ano passado eu só postei coisas feitas por mim mesma. Elas ainda continuarão, mas também quero oferecer outras ideias legais e criativas, porém sem a dependência de que, apenas eu colocarei a mão na massa. Nem sempre dá tempo para produzir e postar assiduamente, e aí o departamento DIY do blog fica tristonho. Quero trazer, em primeiro lugar, ideias originais, e não apenas as minhas aventuras pessoais do universo “faça você mesmo”... pensando o melhor para você leitora (o)!!!

Bem estar: Para você, sua casa, para o planeta e agora para o seu amado estômago... rsrs. Issoooo mesmooo!!! Eu sei que não sou cozinheira nata, sou apenas alguém que faz bem “feitinho” coisinhas fáceis e práticas, e claro, de preferência (a minha) saudáveis. Vou abrir o subtema “comidinhas”, que na verdade ainda não sei se chamará “comidinhas”...rs. O importante é que contarei tudo, todos os meus segredinhos que fazem com que a família exija que eu vá para a cozinha,mesmo que amarrada, para fazer tal coisa que só a minha pessoa faz “daquele” jeito!

Em Casa: Os “Editoriais” (agora acontecerão todo início de estação – a única mudança para este ano no “Em Casa”).

Recomendo: Até agora postei sobre livros e poucos filmes. Quero aumentar a frequência dos filmes, não apenas os lançamentos que fui assistir no cinema, mas também filmes antigos e musicais que adorooo, principalmente os clássicos. Vou precisar ir atrás...rsrs !Sebo nas canelas “fia”!!!

Palavras do Coração: O meu queridinho do ohdecasaa. Amooo escrever no “Palavras do Coração” é quando me solto e não preciso pensar em tema fixo. Adoro escrever sobre qualquer coisa, mas escrever sobre o que vai na alma, naquele exato momento, é coisa boa demais, realiza a minha pessoa num grau...rsrs. E por isso, terá mais oportunidade, serão duas postagens na rodagem dos temas disponíveis no blog, ao invés de apenas uma.


E para finalizar, uma novidade que logo vai complementar o post fixo “Anuncie”: esta pessoinha empolgada que voz fala agora também está escrevendo textos para sites e blogs. Quer ter as minhas palavrinhas fazendo parte do seu mundo de letras? Vem "ni mim"!!! Rsrsrs. Entre em contato e conversamos! Pensa em alguém felizinha de manter os dedinhos em ação!!Euuuu!!! 

E assim finalizo o “Editorial de 2016”, com muita fé, energia, perseverança e dedicação. Amo muito tudo isso!!! E torço para que você também se divirta e se informe muito por aqui. Invada o ohdecasaa sem dó, peça, sugira, opine, pergunte... 

Beijos, beijos e beijos!

Ôh de Casaa!! Store

Manifesto

Manifesto
Comprar de quem faz...

Instagram