Loft – Quero um pra mim!

maio 22, 2019

DECORAÇÃO

Eu con-fes-so-o-o-o!! rsrsrs. Adoro o conceito de Loft, acho mega charmoso!! Pena que aqui no Brasil não rola, a pegada por aqui é outra; a localização, o estilo de construção e a nossa cultura não abrem muito espaço. Apesar de que, acho que o que falta mesmo é incentivo. 


Me lembro que, na faculdade (que já faz um tempinho....hehe), fizemos projetos para reurbanização de uma área de depósitos abandonados do porto de Santos. projetamos áreas culturais, espaços para vida noturna e, claro, o meu queridinho loft. Mas, da ideia para a ação, rola uma certa “dificulidade” política e burocrática, “tão tão”, que ninguém se atreve lutar a favor.


E aí vem aquela dúvida que surge do âmago do ser: Loft é igual a Quitinete, que é igual a Flat e que é igual a Estúdio? Não pessoas queridas, não temos quadrigêmeos nesta saga. Cada um é um, mas para não “incompridá o cunversê” vou simplificar: 



Quitinete: Sinônimo de calor humano, com cerca de 50m2 para quarto, sala (questão de criatividade hehe), cozinha, lavanderia e banheiro.
Maiores fãs: estudantes sedentos por liberdade, solteiros de todas as idades e idosos sozinhos.


Estúdio: Ainda menor, com mais ou menos 30m2, costuma ter o quarto em espaço privativo (junto com o banheiro tá!?) e o restante integrado. A atração fica por conta dos espaços coletivos de lazer, lavanderia e serviço de diarista.
Coisa de gente grande...


Flat: É como um quarto de hotel com brindes:  amostra grátis (oi??) de sala e amostra grátis (hahaha) de cozinha (que de graça não tem nada nééé!?). Os serviços são os mesmos da hotelaria, mas a locação é diferente.
Não é “P.F.”, mas é coisa de executivo!!


Loft: Aêêê !!!! Agora sim, o assunto me animou! Então não vou resumir não, vamos dar uns passinhos para trás e conhecer o comecinho de tudo, assim podemos entender melhor esse jeito de morar tão charmoso e que, geralmente, só vemos em filmes.


Como nosso amigo Jeans (leia aqui), porém um pouco mais jovem, o Loft também nasceu na França, na década de 50 e rapidinho cruzou o Atlântico para fazer seu nome em Nova Iorque.



A definição do termo Loft vem do uso de espaços transformados e adaptados para moradias, que originalmente eram utilizados para armazenagem ou produção; ambientes como galpões industriais ou celeiros e, geralmente, com um pé direito caprichado que o povo aproveita para construir o desejado mezanino.


E como ele criou fama mundial? Essa é fáááácil, culpa do cinema... de novo!!! Pois é pessoas queridas, o cinema sempre foi o tal quando se trata de criar moda, hoje ele divide o ofício com a TV e a Internet, mas ainda dá muito caldo!😁



Mas, voltando ao assunto da vez, o Loft, com esse jeito informal, despojado e estilo “tô nem aí”, virou marca registrada da galera alternativa, uma turma que prefere ser diferente, do que nadar no mesmo sentido que o resto do mundo.... liberdade!



O sucesso foi tanto que, depois de um tempo, os Lofts genéricos começaram a surgir. As construtoras perceberam a tendência e mandaram ver na produção. O jeitão é o mesmo, só que a construção é nova:

- Liberdade total com ambientes integrados;
- Muita coisa aparente: parede de tijolos, tubulações e estruturas de ferro ou madeira;
- Acabamentos sem “mimi”, tipo cimento queimado;
- Muita luz natural com janelas grandes e amplas;
- Pé direito alto;
- Mezanino (opcional);







E “vamú cumbiná” que deve ser uma delícia morar num espaço assim!!??? A amplitude, a sensação de espaço, de liberdade!!! Eu quero um pra miiim!!! 

Beijos, beijos!!!

You Might Also Like

0 comentários

Ôh de Casaa!! Store

Manifesto

Manifesto
Comprar de quem faz...

Instagram