Decoração

Novidades da Paisagista Simone Kremp

maio 28, 2015

HALL DA FAMA

Genteeee! Vocês lembram do cantinho de trabalho da Simone Kremp (leia aqui) que postei para inaugurar o Hall da Fama? Um cantinho muito legal e natureba que ela montou na sala para trabalhar, já que o escritório era pequeno para dois! Pois é, na primeira postagem trabalhei com um conteúdo que eu mesma produzi, mas, desta vez, foi ela quem me enviou o material. E agora o assunto é no estilo faça você mesmo.


A área de trabalho ficou maior para comportar os projetos de paisagismo, e olha as coisinhas legais em cima de mesa! Mas, o que ela enviou para o blog foi a peça que está na parede. Uma janela patinada com gravuras de flores... simples assim! Não ficou show??? 

Se você acha que precisa de muito sofrimento, elaboração, trabalhar por horas e gastar muito para um projeto DYI, olha aí uma ideia para lá de fácil e muuuuuito legal! Simplérrima de fazer e fica bem em muitas salas, escritórios, dormitórios e outros ambientes por esse mundão a fora! 

E você? Resolveu tomar coragem e fazer uma para sua casa? Conte pra gente!!

Beijos, beijos!

Recomendo

Não faça tempestade em copo d’água com a família - Livro

maio 27, 2015

RECOMENDO

O mundo pode desabar e a sua vida estar de pernas para o ar, para quem você corre? Onde pede socorro? Pergunta difícil? Nada... Facim, facim!! Nosso eterno ponto de referência e apoio: a fa-mí-li-a. Não tem coisa melhor no mundo e, ao mesmo tempo, não tem nada mais difícil de manter em equilíbrio. Não estou dizendo que família é um problema, mas convivência é tarefa trabalhosa e sempre precisa do esforço de todos para que seja o menos complicada possível. A dica de leitura de hoje é sobre isso: convivência em família. 


Título: Não faça tempestade em copo d’água com a família
Autor: Richard Carlson
Editora: Rocco

Quando digo família, pode ser sua família raiz: você, irmãos, pai, mãe e quem mais morar junto ou; a família que você acabou de construir, mesmo que seja apenas você e mais um(a), sem rebentos, mesmo assim, é uma família. Ou ainda, uma família em formato alternativo, não importa.

Lidar com o dia a dia, com a rotina, com as diferentes personalidades e pontos e vista, com as expectativas de cada um em relação ao outro, ou outros e, além disso, todos os “senões” e “mas” de cada um, nem preciso dizer (mas direi), é função de super herói, mas não é missão impossível (“num guentei”, tive que fazer o trocadilho...rs).

O livro de hoje é, no mínimo, conteúdo para se pensar, meditar e, claro, tentar colocar em prática. É para virar a bíblia de conduta definitiva? Nem tanto. Mas, pensar em como por em prática aquilo que você captou como sendo falho no seu modus operandi, é uma maneira de autoavaliação bem legal. Muitas vezes nem percebemos o que fazemos de errado ou ruim. Vivemos, praticamente, no piloto automático e às vezes, é preciso parar para rever conceitos e atitudes. Quer jeito mais eficiente de se auto avaliar, do que ler e meditar sobre o conteúdo?
Então... vamos ler!!!!

Gostou da dica? Já leu esse livro? Poste sua opinião nos comentários!
Beijos, beijos!!!

Bem Estar

14 Dicas de economia de água no seu dia a dia – Cozinha

maio 25, 2015

BEM ESTAR

Na postagem anterior sobre como economizar água no banheiro (leia aqui), prometi dar continuidade às dicas para outros ambientes. Hoje, vamos à lista de “boas maneiras” para poupar nossa santa água na cozinha também!

Confesso que nem sei por onde começar, pois existem muuuuitas dicas legais e espero, sinceramente, que você as incorpore no seu dia a dia, mesmo que aos poucos. Como já comentei antes, é só questão de transformar algo novo em hábito e aí, ninguém te segura mais!!!



Então, vamos às “diquénhas”:
Lavando a louça:



01- Primeiro limpe toda a louça retirando os restos de alimentos. Essa “coisarada” toda dentro da pia só vai entupir o ralo e dificultar o trabalho. Atenção, não faça isso com a esponja, os resíduos que ficam nela, você dificilmente consegue limpar por completo, e são eles que transformam sua esponja em morada de microorganismos do mal, tipo coliformes fecais - restos de comida em decomposição; use um talher ou guardanapo de papel absorvente para empurrar os restos para a lixeira, tira tudo;




02- A ordem na lavagem também ajuda a economizar. Organize a louça antes de começar essa tarefinha diária e meio chatinha. Deixe fora da cuba os copos e toda a louça sem gordura e coloque dentro da cuba panelas, talheres, pratos e tudo que parecer difícil de lavar. Provavelmente não vai caber tudo e nem é recomendado, por isso, a dica é colocar por etapa:

- Primeiro os pratos e talheres dentro da cuba e em cima deles, lave os copos e louças sem gordura. Toda a água com sabão que cai ajuda a eliminar uma boa parte dos resíduos que sobraram. Assim, além de economizar tempo e detergente, você também poupa a esponja.

- Os pratos estarão cheios de água, tire-os de dentro da cuba, vá jogando essa água dentro de alguma panela que precise ficar de molho (tem coisa que gruda e só promessa desgruda!) e coloque outro grupo de louças “jogo duro” dentro da cuba. Pode ser panela, assadeira, tigela. Fique atenta, sempre que, o que estiver dentro da pia encher, aproveite essa água em louças que precisam ficar de molho, mas ainda estão na fila do banho. 

- Vá colocando as panelas piores e sempre aproveitando as que estão sendo enxaguadas para “pré-lavar” as danadinhas mais difíceis.




03- A dica mais ouvida, desde sempre, é que não se deve ensaboar a louça com a torneira aberta e sim, ensaboá-la em grupos e só então, abrir a torneira para enxaguá-las. Pois é, acho que essa dica já está até ultrapassada! Considerando a gravidade da situação, a gente tem que economizar mais ainda.

Funciona assim:

- Você ensaboa um grupo de louças, talheres e/ou copos;

- Abra a torneira para enxaguar um prato, por exemplo, e então, feche logo em seguida, pois você leva um tempo para colocar a louça no escorredor e pegar outra para enxaguar e esse tempo custa água. Fechar e abrir a torneira cada vez que você termina de enxaguar uma peça economiza mais água ainda. Tem gente que enxágua duas peças de uma vez, mas tem quem não consegue... então, faça como eu! Para mim já ficou no piloto automático e nem percebo mais que abro e fecho tantas vezes.




04- Se sua cozinha tem espaço, deixe a louça secando sozinha, você poupa tempo e pano de prato, que não precisará ser lavado aos montes e assim, economiza mais um téco de água!



05- Ao lavar verduras e legumes, deixe um recipiente dentro da cuba para armazenar essa água que é, praticamente, limpa. Utilize-a para regar plantas. 




06- Se você deixou as verduras de molho em algum produto para matar os “bichinhos”, armazene-a junto com a água para limpeza; essa água não é legal usar nas plantas, mas ainda é útil para alguns tipos de limpeza. 




07- Para todas as tarefas, use sua sensibilidade e note que, não é necessário utilizar a torneira aberta no máximo. É possível fazer todas essas ações, com uma saída bem contida de água e, ainda sim, terá o mesmo resultado.




08- Algumas empresas já instituíram a caneca individual para água, cada um tem a sua e nada de consumir copos de plástico. Que tal usar a mesma ideia em casa? Cada um tem seu copo ou caneca para usar o dia todo, para beber água sem precisar lavar todas as vezes que utiliza. Lave à noite e deixe no escorredor para o dia seguinte.




09- Utilizar máquina de lavar louças é comprovadamente mais econômico que lavar da forma convencional. Portanto, se você tem essa “modernidade” na sua cozinha, bota a criatura para trabalhar e procure utilizá-la sempre cheia, para que compense o uso da água e da energia. Também fique atenta(o) ao programa escolhido, são várias opções para situações diversas de acordo com o que você coloca na máquina, ou seja, são programas que usam quantidades diferentes para cada grupo de louças: só copos, panelas, tudo junto, etc... explore e aprenda a usá-los, economiza mais ainda!



10- Quando você cozinhar legumes, por exemplo: beterraba, cenoura, etc; guarde essa água para cozinhar feijão, arroz, fazer um caldo ou uma sopa, economiza e ainda ganha de brinde as vitaminas que ficaram na água.




11- Não use água para descongelar alimentos, programe-se e retire-os do congelador ou freezer na noite anterior e deixe descongelando dentro da geladeira, é mais saudável também.




12- Aproveite os cubos de gelo que sobraram no seu copo e jogue-os nos vasos de plantas, elas também precisam de água e a coisa está feia para todos!




13- Para otimizar ainda mais a economia de água, instale um arejador na torneira.




14- Não exagere no detergente, quanto mais espuma, mais água para enxaguar.

Então é isso pessoal. Ficar atenta (o) aos hábitos antigos e revisá-los é muito importante para que consigamos encontrar harmonia entre a nossa sobrevivência e o que a natureza nos oferece. Não desanime, incorpore um novo hábito de cada vez e loguinho, você verá a diferença enooorme na sua conta e no seu dia! Obrigada! E se você tem mais alguma dica legal para dar, poste nos comentários, será enriquecedor para todas(os) nós! 

Beijos, beijos!!

A listinha de links para que você possa seguir o assunto de um jeito bem fácil:
14 Dicas de economia de água no seu dia a dia – Cozinha (você está aqui)





Artesanato

Manta para sofá em jeans - DIY

maio 20, 2015

DIY- FAÇA VOCÊ MESMO

O post que você vai ler agora fala sobre quando resolvi costurar pra valer, sem saber nadica de nadica. Fiz o que fiz na raça, sem ter a menor ideia de como seria a forma correta, e só depois, descobri o jeito certo. Acho que, para mim, foi a melhor maneira, meter as caras pra ver no que ia dar. Pra você entender o caminho que segui para chegar aqui, começo com o post de hoje!



Ao escrever o editorial de 2015 no segundo blog morrido (foi invadido por um raquer), falei sobre o que eu pretendia para cada conteúdo do blog. Quando cheguei ao tema “Faça Você Mesmo” fiz uma confissão: não tenho nada programado, gosto de seguir o coração e fazer o que me der vontade. Pois é, mas também comentei que andava pensando em costura, só não sabia bem o que fazer e aí, senti uma imensa vontade de retomar um projeto que estava, há anos, abandonado: uma colcha de retalhos jeans.

A vontade surgiu por vários motivos e, um deles é que, trabalhos manuais me fazem bem, não apenas pelo prazer de produzir algo com minhas próprias mãos, mas emocionalmente é como um remédio para o meu bem estar... e acho que ando “precisada”. Ao invés de cultivar uma “deprezinha” chatinha, resolvi cuidar de mim e voltei a fazer algo pelo simples e puro prazer e não por obrigação, ou pelo pão nosso de cada dia. Gosto do meu trabalho, mas existem momentos na vida em que precisamos de algo mais, daquilo que te faz se mexer e sair do marasmo, da mesmice. A tal cereja do bolo!

Então... Remexi nas minhas coisinhas de costura e achei o material que estava guardado, arrumadinho em uma gaveta, só esperando a minha pessoa tomar vergonha na cara e retomar a nossa relação. Uma parte do projeto já foi feito, e nessa época eu ainda não tinha previsão para o novo blog, por isso, não tenho fotos do processo original, mas dei um jeitinho de produzir algumas para explicar como fiz.

Ah! Antes de começar é legal vocês saberem que a ideia inicial era uma colcha para cama de casal (a minha), mas agora decidi que será uma manta para sofá. 

Para começar, a matéria prima: calças jeans. Isso mesmo! Sabe aquelas calças que a gente ama de paixão, mas já estão tão surradas, que além de estarem prestes a saírem bailando sozinhas por aí, nem parecem mais uma calça jeans?! Estão mais para vestimenta do dia da faxina... céus. E não adianta fazer terapia, você não dá, não doa e se bobear, transforma em pijama (nada confortável) só para não dar fim. Então, se o apelo ou apego emocional é tão intenso, por que não transformar tais peças, quase desfiguradas, em algo bonito e que você poderá curtir por um bom tempo ainda? Boa ideia, né não?! 




Então, “ajunta” aí um monte desses seres em quase decomposição e se quiser, pode providenciar um pouco de brim novo, é por mais que eu queira fazer uma colcha super “eco-sustentável-verde”, aja calça para tudo isso! Usei calça minha, do pai, da mãe, da cunhada, calça de estoque antigo de loja, tipo 20 anos sem vender, e ainda não deu para completar. Meu próximo passo é comprar um pouco de brim, de preferência de cores diferentes. Ainda não sei a quantidade, mas como vou trabalhar nisso em etapas, vou passando para vocês as informações necessárias. Hoje apresentei o novo projeto e olha o quanto já escrevi... empolgada a pessoa, né?!

Então, se você ficou animada (o), arregaça as mangas e faz a faxina do ano nas roupitchas que já estão meio abandonadas. Limpa... desocupa espaço. Como diz D. Célia: tira coisa velha para entrar coisa nova! E agita a família para fazer o mesmo, se os vizinhos são do tipo amizade antiga, bota a galera para se mexer, arrecada o que puder e só compra o que faltar... e claro, mesmo em formato de bermuda, doe todas a quem precisa e... desapega! Vida leve, lembra?

Hoje apresentei o novo projeto para vocês, e até a próxima postagem sobre o assunto, dá tempo de arrecadar um pouco de matéria prima. Na próxima, explico como trabalhei as calças para retirar delas os retalhos que vamos usar. Suspense...!

Beijos, beijos!!!

Arte e Design

O fabuloso universo de Dale Chihuly

maio 14, 2015

ARTE & DESIGN

Leitores queridos, hoje trago mais uma descoberta das artes. Confesso, o artista da vez já é conhecido mundialmente, mas acho que andei em sono profundo,  não é possível! Só assim encontro explicação na minha cegueira artística! O assunto de hoje é vidro. Achou pouco? Então espia no que isso vai dar!! Vou resumir o conteúdo sobre o histórico, não quero vocês pegando no sono antes de chegar à parte mais divertida... muitas imagens!!!



Quem é o cara? O criador...

Dale Chihuly, nascido em 1941 - Tacoma (estado americano de Washington) - frequentou o curso de design de interiores, e ainda, como estudante, teve seus primeiros contatos com o universo do vidro. Percorreu um caminho continuo de estudos, pesquisas e envolvimento com o campo acadêmico.  O período em que trabalhou na fábrica de vidro Venini, em Veneza, deu-lhe, de forma mais aprofundada, conhecimento sobre a moldagem do vidro tradicional. Utilizando-se de toda a experiência adquirida, revolucionou a técnica trazendo ao mundo uma visão criativa e de vanguarda para suas criações. 

Dono de vários prêmios, presente em centenas de museus, jardins botânicos, hotéis, cassinos áreas públicas e  cofundador  da  Pilchuck Glass School, no Estado de Washington é dono de uma capacidade criativa arrebatadora.

Vitima de dois acidentes, um de carro, quando perdeu uma das vistas;  e outro na praia, quando deslocou  um dos ombros, que o impediu, daí em diante, de trabalhar sozinho. Mas, não impossibilitou que sua mente criativa e criadora continuassem a ter asas e alma!



As criaturas...

O que encanta na esfera das artes é a comoção causada por aquilo com o que você passa a ter contato. Os meios de expressão através dos quais os artistas se manifestam são incontáveis e cada um, encontra sua ferramenta para representar ou traduzir sua forma de pensar e/ou sentir. Dale Chihuly elegeu o vidro e gente... dá para ficar sem palavras! Olhem a “belezura” e o encantamento que causam suas criações!





Sua linguagem orgânica e profundamente inspirada pelo mundo marítimo transforma o vidro em uma visão surreal, um universo paralelo rodeado por plantas gigantes, animais aquáticos, plantas marítimas. Suas criações poderiam facilmente inspirar um filme de ficção.






Dale Chihuly (com 30 anos de carreira) é o “cara” quando a matéria prima para criações artísticas é o vidro, tanto nos EUA (“Glass Blowing”) quanto no mundo.

E para animar vocês leitores, mais algumas imagens!







O Chihuly Garden and Glass, desde 2012, abriga uma coleção linda, de cair o queixo, para quem gosta das obras desse artista que aprendeu a fazer mágica para nossos sentidos. Fica em Seattle, no Space Center, ao lado da famosa Space Needle.




Se você curtiu conhecer Dale Chihuly, e quer saber um pouquinho mais sobre suas obras e criações, visite o site oficial aqui e também dê uma olhadinha nesse video aqui, em que ele mostra um pouco do seu trabalho em plena ação.

Espero que vocês tenham gostado da postagem de hoje. Estou adorando descobrir novos mundos do universo das artes além do que estamos acostumados a ver na mídia. Se você já conhecia Dale Chihuly, deixe comentários e conte sua opinião. E se você quiser sugerir artistas para novas postagens vou adorar!!

Beijos, beijos!!






Diário de Obra

Como escolher o profissional para sua obra?

maio 11, 2015

DIÁRIO DE OBRA

Se é enorme a dúvida sobre contratar ou não um profissional para projetar e acompanhar sua obra, é de se esperar uma certa insegurança quanto à escolha do eleito. Definir a pessoa certa diante de um mercado enorme de opções pode deixar quem já está meio tenso, pensando em apelar para o chazinho de camomila da vovó.



Mas calma, não é tão complicado assim. Abaixo alguns caminhos possíveis para resolver essa charada:

01- Conversar com pessoas conhecidas que já construíram com a ajuda de um arquiteto pode ser o caminho mais curto. Trocar ideia e fazer perguntas sobre a forma de trabalho, também é importante.

02- Passear pela cidade e observar construções recentes ou que estejam em andamento e que agradam são uma forma de conhecer a obra antes do artista. Em obra sempre há identificação do profissional com nome, contato e número de registro profissional - CAU para os arquitetos e urbanistas, e CREA para os engenheiros. 

03- Pesquisar na internet é prático. Se o site apresentar imagens dos trabalhos, é meio caminho andado, do contrário, vale marcar uma visita ao escritório e conhecer o portifólio. Alguns profissionais disponibilizam visitas à casa de um ex-cliente. Outros trabalham Home Office e podem atendê-la(o) na sua casa, em um primeiro momento, e depois agendar uma visita a alguma obra em andamento ou já pronta.

Esteja atenta(o) também sobre o estilo de trabalho do profissional. Alguns imprimem em suas obras, de forma clara, a maneira de projetar. Essa pode ser uma vantagem quando se trata de marca, mas em alguns casos as obras acabam todas muito parecidas umas com as outras. Fique atento para não confundir estilo com falta de criatividade.

05- Independente de como você chegou às opções disponíveis, o essencial é ter empatia; afinal de contas, essa pessoa fará parte da sua vida por um certo período e quanto mais a vontade e próxima(o) você se sentir, mais fácil será para a conexão entre vocês se transformar em resultado positivo na obra.

06- Se você está pesquisando vários profissionais, siga mais seu coração do que seu bolso. O papel dele será também otimizar investimentos e, por isso, vale muito a pena contratar aquele que mais agradou e com quem você mais se identificou, do que simplesmente o mais barato. 

Dica: Dê preferência para o engenheiro que já trabalha com o arquiteto escolhido, se os dois já estão afinados, fica tudo mais rápido e simples. O mesmo vale para a(o) paisagista.

Dúvidas? Quer trocar experiência sobre o que você já viveu em obra? Poste nos comentários, quero ouvir sua opinião! 

Um passo de cada vez, chega-se longe. Um tijolo de cada vez, constrói-se um castelo e boa sorte nessa empreitada!!!

Ôh de Casaa!! Store

Manifesto

Manifesto
Comprar de quem faz...

Instagram