Organização

Gaveta feminina

abril 30, 2015

ORGANIZAÇÃO

Gente, é fato que mulher demora para se arrumar, mas apesar do comichão nos dedinhos, vamos deixar esse tema para outro dia. O papo de hoje é sobre a gaveta de lingeries que claro, se bem organizada, facilita muito e até pode enxugar o tempo que você precisa para ficar pronta e na ponta do salto.

Todas nós sabemos, mas os homens ainda não, que ter muitas peças intimas não é mania ou compulsão, claro que existem as exceções, mas necessidade. Você tem um vestido com um decote específico, uma blusa com outro tipo de decote, outra blusa meio transparente e por aí vai. Cada qual te obriga a ter um kit solução. Claro que isso não é necessário para todas as peças de roupas, mas acontece muito.

A dica de hoje é para simplificar as coisas. Eu poderia falar dos organizadores que existem no mercado, mas a dica do dia é para resolver a questão sem por a mão no bolso.




01- Sutiãs com bojo são fáceis de encaixar um no outro. Separe-os pelos modelos: com alça básica, nadador, tomara que caia. Também podem ser categorizados como básicos e sexy. Organize-os de forma que todos possam ser visualizados e por cor;

02- Calcinhas dobradas como envelope ficam arquivadas. Fáceis de identificar e sempre organizadas. Dá uma olhada na imagem abaixo com a dica de como dobrar:



03- Meias para tênis são chatinhas. Existem várias formas de organizá-las, depende muito de como cada um gosta, espaço disponível e quantidade. Aqui, poucas meias foram bem solucionadas enroladinhas e deitadas;

04- Pashimina, lenços e cachecóis enrolados. Sem bagunça e fácil de achar.

05- No fundo da gaveta as peças menos usadas: sutiãs sem bojo, meia fina e o maiô com a canga.

Muitas vezes, dicas simples surpreendem pelo resultado, experimente aplicá-las e conte nos comentários.

Beijos, beijos!!

Decoração

Como Instalar a coifa

abril 27, 2015

DIÁRIO DE OBRA

A postagem de maior sucesso da primeira versão do blog “Ôh de Casa!” está de volta. De roupa nova, cheia de acessórios e mais experiente do que nunca. Campeã de perguntas e dúvidas chega pomposa e mais completa.  Você leitor(a) é a grande inspiração. Muitas perguntas se repetiram e foram a indicação do que faltava.  Nas duas postagens anteriores sobre o assunto, falamos de “Coifa ou Depurador”“Coifa trabalhando como Depurador”, a última baseada diretamente em uma pergunta do(a) leitor(a).


Hoje, vamos a mais um assunto sobre o tema. 25 perguntas campeãs de audiência com respostas caprichadas para você.

01- Por onde começar?
Antes de definir o tamanho da coifa, decida sobre o fogão: fogão de piso, de mesa, cooktop, quatro, cinco ou seis bocas. A coifa precisa estar de acordo com essa relação de medidas. Fogão escolhido diminui o leque de opções de coifa e facilita na hora da decisão final. 

02- Qual a ordem das coisas?
Decida sobre os eletrodomésticos antes de dar início ao projeto de marcenaria. Se você não se preocupar com isso no momento certo, corre o risco de comprar uma coifa que pode não encaixar no espaço previsto. Não adianta pensar em cortar, desmontar ou fazer gambiarra, você só vai conseguir estragar o produto. Comprou errado? Vende ou troca. Remendar nunca dá bom resultado. 
Faça contato com a marcenaria ou a loja de modulados antes da etapa de pontos de hidráulica e elétrica da obra. As empresas costumam fornecer as informações sobre os pontos após o fechamento do contrato. Faça um acordo, pague uma porcentagem para garantir essas informações e no momento da execução, acerte o restante.

03- Qual a distância ideal entre coifa e fogão?


A distância ideal entre fogão e coifa fica entre 70cm e 80cm. Mesmo que você seja mais alto(a), existe um limite (de distância) para que a coifa seja eficiente, por isso, é importante manter certo padrão.. Se sua preocupação é bater a cabeça, não se preocupe, a coifa não é tão profunda quanto a pia e será instalada na parede ao fundo.

04- Qual a altura ideal da tomada?
O ponto de energia deve ficar no centro da coifa, a cerca de 2,20m do piso ou vir pelo forro, por dentro do duto. Se sua cozinha já tem o ponto de tomada e não é onde deveria, é possível instalar um painel de laminado melamínico  ou de inox para alterar esse ponto, sem quebrar a parede. Se não for possível, deixe como está e não faça nenhuma adaptação, não se brinca com energia elétrica.

05- Onde prendo minha coifa de parede?


A coifa comum é instalada diretamente na parede, como na imagem acima e não dever ser adaptada como coifa de ilha, ela não foi construída para isso.

06- Onde prendo minha coifa de ilha?


A coifa de ilha deve ser instalada na laje ou na estrutura do telhado, nunca deve ser presa no forro de gesso, PVC ou madeira, pois não suportam o peso da peça. Comprou a coifa com o gesso pronto? Respira fundo, protege tudo e relaxa, é preciso abrir o gesso para chegar até a laje. Se o forro for de PVC, será necessário desmontá-lo. 

07- Coifa de parede pode ser adaptada à ilha?
A coifa de ilha é própria por dois motivos, tem acabamento de todos os lados e é para ser instalada na laje. A coifa de parede só tem acabamento de uma lado e é própria para ser instalada na parede. Assim, somando 1+1, remendo só vai queimar a sua cozinha e estragar o produto.

08- Minha coifa de ilha ficou bem debaixo de uma viga, o que faço?
Vigas e pilares são a estrutura de sustentação da casa e isso inclui o peso do telhado. Não se deve alterar a condição desses componentes sem a opinião de um profissional da área: engenheiro ou arquiteto. Se não há possibilidade de mudar a posição da coifa, você pode estudar com um serralheiro a possibilidade de criar uma estrutura que prenda a coifa na laje, deixando a viga livre, mas não faça nada sozinho(a).

09- O duto da minha coifa está na mesma altura que a viga que sustenta a parede externa da cozinha, o que faço?
Se não tem janela nessa direção, você pode utilizar um rebaixo de gesso demarcando a bancada ou a ilha e passar o duto por aí, fazendo o furo logo abaixo da viga, desde que a altura total do piso ao gesso fique com até 2,50m, que é o mínimo para o pé direito.

09- É perigoso passar o duto entre a laje e o forro de madeira?
Não acredito que a temperatura da fumaça que entra pela coifa e passa pelo duto possa ser tão alta que ofereça risco ao forro, mas se você não se sentir seguro (a), use isopor como isolante térmico entre a madeira e o duto. Ele ajuda na proteção térmica e não é inflamável.

10- Meu fogão é de canto, como resolvo a coifa?
Coifa de canto não é um modelo encontrado com facilidade no mercado. Em pesquisa, achei uma ou outra empresa que pode produzi-la sob encomenda, mas tudo que foge do comum tem valor agregado mais alto. Se seu sonho de consumo é um fogão no canto da cozinha, prepare-se para investir mais do que esperava, se quiser ter uma solução legal. 

Ou assuma que coifa não é uma opção. É melhor do que comprar uma coifa comum e tentar instalar no canto, ela não tem estrutura para isso e vai ficar com cara de remendo. Se você quiser gastar mais do que o necessário, pode usar a coifa de ilha, mas fique ciente de que seu investimento vai como que, morrer na praia, pois o lado que tem acabamento e pelo qual você está pagando mais, ficará de castigo olhando para a parede.


11- Um duto muito longo prejudica a eficiência da vazão?
Quanto menor o caminho a ser percorrido pelo duto, melhor a eficiência da vazão.  Por isso, avalie o local para seu fogão pensando na proximidade de uma parede externa ou na saída pela laje, fique atento (a) ao que existe no andar de cima e se for apartamento, se há alguma regra em relação à fachada.

12- Qual o melhor ângulo para o duto: 90º. ou reto?
O duto é flexível, portanto não é problema estar em ângulo. O que pode causar menos eficiência é o comprimento do duto. Quanto mais longo, menos eficiente.


13- Tem problema furar a laje depois de pronta?
Desde que não atinja algo estrutural, não tem problema furar a laje para passar o duto. Mas, será muito melhor prever essa passagem antes de construir. A laje pré-moldada, por exemplo, possui vigotas intercaladas com tijolos, o ideal é respeitar toda estrutura presente na construção.

14- Como fica o acabamento do telhado com a saída do duto?
Esse acabamento pode ser feito por um Calheiro e é o mesmo conceito para telha cerâmica ou outro material. 



15- É possível duto de gás e coifa juntos?
Gás é inflamável, não é seguro misturar as coisas.

16- Como saber se a coifa que gostei dá conta da área da minha cozinha?
Vazão é o volume de vapores e gases retirados do ambiente, medido em m3/h e pode ser calculada, conforme NBR 14518 através de duas fórmulas, adotando-se o resultado de maior valor.

Uma delas:
Obs.: Oito significa o número de renovações de ar do ambiente por hora.
O resultado da conta pode ser conferido no manual de instruções ou informações técnicas disponíveis em sites de vendas de coifa ou no próprio produto. Assim dá para saber se a coifa que você quer, dá conta do recado.



Na dúvida, dê preferência para a compra da coifa em loja boutique, o atendimento personalizado garante certas informações de apoio que lojas de departamento não oferecem.

17- Qual a dimensão ideal do duto?
A tubulação da coifa precisa ser bem dimensionada para que a exaustão seja eficiente e com o menor nível de ruído. Você pode usar o cálculo acima para verificar o quadro abaixo:


Se calcular a dimensão é missão complicada, é possível utilizar uma referência geral, que pode não ser a solução perfeita para uma cozinha grande, mas para a maioria das cozinhas atuais resolve:

Duto com 13cm de diâmetro.
Furo na parede com 14cm de diâmetro.

18- Posso cortar uma parte do duto que veio na coifa?
Se você tiver quem faça o serviço bem feito e o resultado não alterar nenhuma característica vital para o uso, pode sim.

19- Moro em apartamento, posso furar a parede externa para passar o duto?
Em apartamentos, não se esqueça de verificar as normas do condomínio sobre a interferência da abertura para o duto na fachada e a necessidade de padronização da mesma, se permitida. Se não houver problema com o condomínio, é possível sim.

20- Não tenho saída externa para a coifa, posso utilizar como saída o vão entre o gesso e a laje? 
Todo o ar sugado pela coifa precisa sair para algum lugar. Transformar o vão entre o gesso e a laje em depósito fechado desse ar é contagem regressiva para ter problemas. É como encher uma caixa indefinidamente sem nunca ser esvaziada. Definitivamente não é uma boa ideia. Opte em utilizar a coifa em modo depurador.

21- Quem instala a coifa?
A assistência técnica autorizada de cada fabricante é quem está apta a instalar sua coifa. Por isso, verifique antes da compra se existe esse serviço (do fabricante que você escolheu) 
 disponível na sua cidade.

22- Como limpar a tela?
Com água quente e detergente neutro ou na máquina de lavar louças.

23- Como manter o inox limpo?
Com produtos específicos para este material ou vaselina liquida industrial.

24- Coifa faz muito barulho?
Qualquer aparelho faz um certo barulho: máquina de lavar roupas, máquina de lavar louças, depurador e coifa. O vendedor provavelmente dirá que o produto que vende é super silencioso, mas no final das contas, é mais seguro fazer uma pesquisa paralela. Considerando a quantidade de marcas e modelos disponíveis no mercado, fica difícil indicar uma opção definitiva. O mais seguro é conversar com quem já tem uma ou pesquisar nos sites de reclamação. Essa pesquisa pode ajudar muito, não só para escolher a menos barulhenta, como para ter mais conhecimento sobre a aceitação do produto pelos consumidores. Seus prós e contras.

25- A coifa tem que ter, obrigatoriamente, um exaustor?
Se a coifa não possuir um exaustor, será um depurador. Para que a fumaça e o cheiro seja retirado do ambiente, é necessário ter o processo de exaustão em funcionamento.

É isso leitores(as), valeu a pena entrar madrugada a dentro por essa postagem.

Ufa! Tomara que tenha ajudado você em sua empreitada de obra ou na reforma da sua cozinha! Sei que muitas dúvidas ainda surgirão é só postar nos comentários e prometo, se houver necessidade, faço uma nova postagem para completar esta, ok?!

Beijos, beijos!!!

03- Como instalara a Coifa (você está aqui)





Bem Estar

21 Dicas de economia de água no seu dia a dia – Banheiro

abril 20, 2015

BEM ESTAR

“A Terra é azul”, foi a frase mais famosa atribuída ao soviético Yuri Gagarin -  primeiro homem a ir ao espaço. Observar nosso planeta de tão longe é uma maneira poética de identificar um fato real: a maior parte de sua superfície é constituída de água e não terra. Há quem diga que devíamos chamá-lo de planeta Água e acho que lógica têm, mas vamos deixar como está, afinal de contas, vivemos sobre a terra, apesar de não sobrevivermos sem água.



O importante sobre esse fato e que, infelizmente, pouca gente tem conhecimento ou é cético demais para compreender a realidade, é que, apesar da superfície de nosso planeta ser composto por 70% de água contra 30% de terra, apenas 3% desse mundão de H2O é própria para consumo. O restante está distribuído em diferentes condições que impedem seu uso por nós para alimentação e higiene pessoal, a saber: água salgada, água congelada nas geleiras, água em subterrâneos e outras situações específicas em que a água pode conter micro-organismos prejudiciais a nossa saúde. 

Outra questão importante é que as nossas necessidades primárias de alimentação e higiene não estão sozinhas na corrida de uso da água. A indústria, agricultura e a criação de animais para consumo, independente do certo e errado, também precisam de água para continuar ativas e, no final das contas, consomem muito mais do que nós, além de serem priorizados, pois do contrário, ficaríamos sem comida também. 

E assim, depois de tanta divisão e subtração, nos sobra apenas 8% de água para levar a vida. E lembrem-se, esses 8% são para mim, para você, sua família, seus vizinhos, os meus também e toda a enorme população mundial. Sentiu o drama?

Então, vamos colocar as mãos na consciência, abrir os olhos para a realidade, aprender a respeitar os recursos naturais e entender que eles não são eternos. Árvores derrubadas com mais velocidade do que crescem, animais caçados por motivos econômicos e água mal utilizada, são elementos da natureza que acabam.

Essa introdução enorme é para ajudar você a entender melhor sobre a importância de preservar nossas reservas naturais e mudar de atitude no seu dia a dia. Hoje vou dar as dicas que prometi  na postagem “Escolha fazer a sua parte”, sobre como economizar água.  Achei interessante apresentá-las por ambiente. O banheiro, considerado o maior vilão, será nossa primeira estrela.




Banheiro:

01- Sabemos que um banho quente é reconfortante, gostoso e pode até ajudar na ressaca pós-balada, mas banho é necessidade diária e por isso, não precisa ser longo. Cinco minutos é o suficiente;

02- Enquanto você se ensaboa, não é preciso manter o chuveiro ligado. Desligue-o e religue apenas para se enxaguar;

03- O mesmo vale para lavar os cabelos. Para a mulherada que gosta de se cuidar, uma sugestão é lavá-los antes de entrar no banho, com o chuveirinho mesmo (a vazão é menor), ligando e desligando sempre que necessário. Passe aquele creme recomendado pela tia da sua amiga e entre para tomar banho apenas quando puder enxaguá-lo. Você se cuidou e não desperdiçou água;

04- Se o seu chuveiro tem aquecimento solar ou a gás, já notou que o tempo de espera para ter água quente disponível é maior do que o chuveiro elétrico. A dica é manter um balde no box para armazenar toda a água fria e utilizá-la depois. Pode ser usada no lugar da descarga, para a limpeza do próprio banheiro, para regar as plantas. Use sua imaginação, afinal é água limpa;

05- A ideia do balde no Box também pode funcionar para o chuveiro elétrico. Armazenar a água do banho garante a água da descarga e da limpeza do banheiro;

06- Se sua família aumentou de tamanho há pouco tempo e você tem mais de um filho pequeno, aproveite o chuveiro ligado para dar banho coletivo. Outra dica é utilizar uma banheira infantil para armazenar a água do final do banho dela ou dele, caso a(o) pimpolha(o) goste de brincar com água e você precise negociar o banho. Armazene-a e aproveite para a limpeza depois;


07- Existem vários modelos de chuveiro elétrico, mas a maioria possui três opções de temperatura: inverno (muito quente), verão (quente, mas nem tanto) e desligado (frio). Manter a chave na opção verão economiza no consumo de energia e na vazão de água, já que, quanto menos água sair, mais quentinho seu banho será;


08- Fique atenta(o) às indicações de consumo de energia  e água do chuveiro que você tem ou vai instalar na sua casa;

09- Em duchas e chuveiros é possível instalar um Registro Regulador de vazão e melhorar o desempenho quanto ao consumo de água.




Essa peça, instalada entre o chuveiro (ou ducha) e a conexão da parede, permite a regulagem da vazão de acordo com a pressão disponível;

10- Dica de Beleza: Depilar-se no chuveiro não é uma boa ideia. Você poderia desligá-lo e ligar apenas para enxague, mas no inverno, raspar as pernas enquanto você já está molhada é meio sofrido. Uma boa ideia é utilizar o aparelho elétrico, não aquele que puxa (esse fica para as corajosas), mas o que apenas corta. Não gasta muita energia, é rápido e independe do banho. Outra dica são cremes depilatórios para as não alérgicas ou depilação no salão mesmo;

11- Além do chuveiro, também é possível economizar durante o uso da torneira. Pense bem, escovamos os dentes muitas vezes ao dia, no mínimo três, imagine o quanto de água vai pelo ralo sem uso. Feche a torneira enquanto escova os dentes ou use uma caneca ou copo;

12- Ao lavar o rosto, seja breve. Para os rapazes a dica é: ao fazer a barba, abrir a torneira apenas nos momentos de enxague da lâmina ou utilizar um recipiente onde você possa enxaguá-la. Para as moças: tire a maquiagem com um demaquilante e só então utilize água. Quem gosta de pintar os olhos (usa lápis e rímel) não se esqueça do demaquilante específico para essa região. Aliás, tal atitude cuida da sua pele e também evita manchar as toalhas, o que soma outro ganho: utilizar menos produtos fortes na lavagem da roupa respeita a natureza;

13- Para ajudar na economia de água, já existe no mercado, há um bom tempo, torneiras e misturadores específicos. Os modelos providos de sensores controlam a saída de água de acordo com a aproximação das mãos. São extremamente eficientes e largamente utilizados em ambientes comerciais, mas também podem ser instalados em residências. O segredo é ter um ponto de energia disponível para alimentar o dispositivo de movimento. Precisa ser instalada por mão de obra especializada, mas vale o trabalho, é economia garantida.




Existem muitas opções com diversos preços.

14- Outro modelo de torneira econômica é a automática, não tão eficiente quanto a com sensor, mas ainda sim muito mais econômica que a convencional. Libera água com o acionamento do botão e fecha automaticamente após alguns segundos;




Dos mais simples aos mais sofisticados, são muitos os modelos e preços. É só encontrar o que cabe no seu bolso!

15- O jeito que você utilizar seu vaso sanitário, louça sanitária, bacia sanitária... também interfere no consumo de água. Para começar, mantenha a válvula de descarga sempre regulada e fique atenta(o) se há algum tipo de vazamento - no final da postagem de hoje, dica para descobrir se existe vazamento no vaso do seu banheiro. Em alguns casos é possível resolver trocando o reparo (peça reguladora de saída de água para a bacia sanitária);





16- Essa mesma peça (reparo) pode ser trocada também para diminuir o consumo de água, mesmo que não esteja com defeito. O importante aqui é contratar alguém que saiba o que está fazendo para que você tenha o resultado esperado, ao invés de dor de cabeça;

17- Uma dica legal é trocar a válvula de descarga. Se a construção for antiga, o mínimo é atualizar para um modelo mais novo. Se possível, alterar para válvula de acionamento duplo, com opção de maior (6 litros) ou menor (3 litros) volume de água. Garante ainda mais economia;

18- Optar por caixa acoplada também oferece bom controle de consumo e possui  a opção de acionamento duplo, como a válvula de parede;



19- Se não é possível resolver o seu caso com trocas ou reparos, tente ao menos manter o dispositivo em uso apenas pelo tempo necessário. Nada de esquecer o dedinho na válvula de descarga!

20- Uma péssima mania é jogar lixo dentro do vaso sanitário. É terrível, mas tem gente que faz isso e acha a atitude mais normal do mundo. Mas, não é. Jogar papel higiênico, cotonete, cigarro, bolo de cabelo e sabe-se lá mais o quê, dentro do vaso, é garantia de problema. Entupimento pode trazer de volta todo o lixo em situação ainda pior do que foi (para dentro da sua casa) e mesmo que, por ventura, nada aconteça, todo o material sólido que foi pela descarga vai para rios (se não houver tratamento de esgoto na região) ou para a estação de tratamento (será muito mais dispendioso tratá-la);




21- Dica esperta: 
Monocomando é o modelo de acabamento que, em um único comando, controla a mistura de água quente e fria. Vale para chuveiros, torneiras e banheiras. O segredo é optar por esse sistema durante a construção, pois sua instalação é diferente do modelo comum com dois registros. Para utilizá-lo em residências prontas, será necessário fazer uma reforma no banheiro. A grande vantagem é que você não vai precisar perder litros de água enquanto tempera o seu banho, pois a quantidade de água quente e fria já estará controlada, será preciso apenas abrir e fechar o chuveiro ou torneira.

Teste: Como verificar se existe vazamento na válvula de descarga: 
Coloque luvas, o vaso sanitário não é o lugar mais higiênico e limpo do mundo, certo?! Depois, retire toda a água da bacia, pode ser com um copo descartável ou outro recipiente que possa ser descartado depois. Transfira a água para uma bacia ou balde. Observe sem apertar a descarga. Se dentro de mais ou menos 20 minutos a água voltar ao volume normal, há vazamento. A válvula precisa de concerto ou troca.

Na postagem de hoje procurei falar de todas as possibilidades disponíveis para mudar nossos hábitos e proteger a natureza, ao utilizar o banheiro nosso de cada dia. A água é precioso recurso e precisamos ser conscientes quanto ao seu consumo. Espero que as dicas tenham sido úteis para você e logo mais darei continuidade falando sobre outros ambientes da casa.

Se você gostou já fiquei feliz, mas se tem outras dicas para dividir com os leitores aqui de “casaa”, será melhor ainda! Pode abusar dos comentários logo abaixo. Se quiser dar sugestões sobre o blog, use e abuse dos comentários!

Beijos, beijos!!

A listinha de links para que você possa seguir o assunto de um jeito bem fácil:

Escolha fazer a sua parte
21 Dicas de econômia de água no seu dia a dia - Banheiro
14 Dicas de econômina de água no seu dia a dia - Cozinha
06 Dicas de econômia de água no seu dia a dia - Lavanderia



Recomendo

A Arte de Ser Leve - Livro

abril 15, 2015

RECOMENDO

Quando fui apresentada a este livro ouvi a seguinte frase: “Eu tava dando um jeito nas minhas coisas e encontrei este livro, pensei em guardar no quartinho dos fundos, mas achei a sua cara, toma!”. Quando olhei o titulo e li a contracapa entendi. Leveza é minha meta para a vida.




Já escrevi sobre isso aqui no blog e ao contrário do que muita gente pensa, ser leve não é fugir dos problemas ou deixar o mundo desabar sem reação, é (apesar de aparentemente contraditório) saber levar o pacote fechado que a vida oferece da melhor maneira possível, encarando numa boa (um exercício diário) nossas limitações e expectativas. Acho que a coisa mais difícil é viver levemente, principalmente quem não nasceu pronto nesse quesito.

O livro oferece diferentes visões para o sentido de leveza. Tem gente que aprende a ser leve sendo alegre e trazendo alegria para os outros, tem gente que aprende a ser feliz com o que tem e assim diminui o peso das correntes, tem gente que abre mão de tudo (dos prazeres da vida solteira) para viver bem em família e descobrir a leveza e o sentimento de felicidade no estar junto. A autora Leila Ferreira conta muitas histórias de pessoas de diferentes cidades e países. Pessoas comuns ou estudiosas, conhecidas ou anônimas, porém todas com um conceito de vida sobre leveza e felicidade.

Não é um guia sobre leveza, mas um jeito de ver a realidade e a vida sem piorar o peso das nossas experiências. Através de diferentes pontos de vista dos entrevistados, as informações são filtradas pelos olhos da escritora e jornalista e chegam até nós, leitores, de uma maneira leve - ela acertou a mão -  e bem humorada. 

Como sempre escrevo sobre esse assunto por aqui, achei que, se o livro tem a minha cara (segundo alguns), tem também a cara do blog e por isso, trouxe para vocês uma dica de livro.

Título: A Arte de Ser Leve
Autor: Leila Ferreira
Editora Globo


Você já leu o livro da dica de hoje? O que achou? Tem um titulo de livro para dividir com a gente? Deixe sua opinião nos comentários e boa leitura!

Beijos, beijos!!


Palavras do Coração

Era uma vez

abril 13, 2015

PALAVRAS DO CORAÇÃO


Sabe aquela inspiração de momento, aquela horinha só sua que te faz literalmente pensar na vida? Um dia, num desses momentos, me deu vontade de escrever sem muito compromisso. Escrever e guardar na gaveta, onde ficou por muito tempo até ser resgatada meio sem querer.


Hoje, resolvi tirar a poeira desse texto e compartilhar com vocês. Escrito há anos e sem a pretensão de ter dado vida a algo específico, classificável. Apenas escrevi. Se rimou foi sorte. Se ficou bom, eu não sei; mas se você gostar já valeu para mim.



Era uma vez…
Um menino... um rapaz... um homem.
Muitas dificuldades passou, menino.
Muito sofreu, rapaz.
Ainda muito o que viver, homem.

Era uma vez...
Uma menina que não sabia cozinhar, mas sabia que não podia erva cidreira no bolo de fubá, amendoim na canjica e vinagre na pipoca.
A moça gostava de sol no rosto e rosto no rosto.
A mulher tinha as mãos frias para serem aquecidas e esperava as mãos nas mãos.

Era uma menina moça mulher que gostava de aprender.
Uma quis aprender a cozinhar, mas aprendeu a brincar.
A outra quis aprender a amar, mas aprendeu a fazer amigos e esperar.
A última quis aprender a ser melhor e aprendeu a se levantar.

Tudo novo e diferente.
Uniram-se então a menina, a moça e a mulher, juntas aprenderam como conviver em uma só.
Combinaram assim:

A menina seria dona das verdades inocentes.
A moça, das palavras doces.
A mulher, de si mesma.

A menina deveria ser sempre alegre.
A moça esperançosa.
A mulher realista.

A menina deveria gostar de doces e bichos.
A moça, de moços e da melhor amiga.
A mulher, de lutar.

A menina saberia rir.
A moça, chorar e sonhar.
A mulher, cair e levantar.

A menina poderia gostar.
A moça iria se apaixonar.
A mulher deveria amar.

Menina é feliz porque é menina, um dia será moça.
Moça é feliz porque é aprendiz, um dia será mulher.
Mulher só é feliz porque guardou a menina e a moça.

A alma de aprender está contida nas três.
A necessidade de saber nasceu com todas.
A mulher mistura tudo e aprende a cozinhar.
A menina agradece e vai brincar.

O menino que estava por aí não viu a menina por lá.
O rapaz fechou os olhos para o sol e não viu a moça passar.
O homem não percebeu a lua chegar.

A menina nunca aprendeu a nadar.
A moça sempre teve medo do mar.
A mulher quer salvar, mas tem medo de se afogar.
Ah! Mar...

Beijos, beijos!!!

Decoração

Fundo de prateleira sem graça

abril 08, 2015

DIY - FAÇA VOCÊ MESMO

Cansou de olhar para o fundo branco e sem graça da sua bancada de trabalho ou da prateleira da sala? Você tem um cômodo da casa que está sem graça e com cara de água com açúcar? Com pouco din din e paciência é possível dar um charme a mais!




Escolha um tecido que te agrade e combine com o ambiente. Se não há nenhuma cor limitante, é possível aproveitar algum tecido que você tem e que está esquecido no fundo do baú da vovó, tia, mãe, procura!

Sabe aquele papelão cinza e durango que usei para fazer o telhado da casinha da minha sobrinha fofa? Então, o próprio. De várias gramaturas, é vendido por peso. Escolha a gramatura suficiente para deixar o papelão em pé sem dobrar.

Meça a largura e altura do vão da prateleira. Na dúvida, corte uns milímetros maior e vá acertando até que,  literalmente entale no vão e só saia com simpatia! Isso vai impedir que seu peso traga-o para frente. Se a dimensão não for suficiente, faça uma emenda com fita adesiva.




Cole em um dos lados o E.V.A. de gramatura alta, substitui a folha de cortiça que é hiper cara e transforma sua parede decorada em painel de recados. Super útil e baratinho!!!




Em uma mesa, eu fiz no chão mesmo (ai que dor na lombar...rsrs), coloque o papelão em cima do tecido e corte-o uns 5cm maior de todos os lados. Lembre-se, o tecido deve ficar do mesmo lado que o E.V.A. , frente.





Como eu mudo muito de ideia, não quis usar cola, prendi toda a volta por trás com fita adesiva larga, mas se você preferir pode usar cola em toda a superfície frontal e colar o tecido definitivamente no papelão.


Pronto! Viu só, super simples. Você só precisa encaixá-lo no vão, se por uma força do destino, ou melhor, da gravidade, ele tombar para frente, prenda na parede com fita dupla face e pronto.  Piú Bello!!

Beijos, beijos!!

Arte e Design

Cerise Doucède - Fotografia

abril 06, 2015

ARTE & DESIGN

Estava eu folheando uma revista que havia acabado de receber: a Docol Magazine. Mal abri e dei de cara com vários assuntos superinteressantes. Tenho mania de dar uma olhada geral na revista e só depois parar para ler, assim, uso o meu tempo apenas com o que me interessa realmente. Tinha muita coisa legal, mas quando abri uma página dupla e vi a fotografia enorme de lindas e brilhantes maçãs, flutuando presas por fios, em um ambiente cheio de detalhes e a personagem em meio a uma ação cotidiana, fiquei fascinada! 




As imagens seguintes num total de sete – na revista, não me deixaram menos perplexa. Fiquei tão encantada e presa às cenas, que me senti como uma de suas personagens: perdida em divagações interiores enquanto observo uma revista. Faltaram os objetos flutuando sobre minha cabeça, por que a cara de “perdida no espaço” eu já tinha.




“Adoro a relação que pode existir entre as pessoas e os objetos” – Cerise Doucède.

Cerise Doucéde é uma jovem artista francesa, de 27 anos, estudante de artes plásticas desde os 16. Descobriu seu amor pela fotografia enquanto cursava a faculdade de design gráfico (em Aix-en-Provence, Paris), quando produziu, entre 2010 e 2012 a série “Égarements” (“Distrações”em português), a primeira de muitas outras que vieram depois.




“Eu quis reproduzir aqueles momentos em que algo faz com que a gente se perca nos próprios pensamentos” – Cerise Doucède.

Seu processo de trabalho consiste em amarrar os objetos com fios de nylon, dispondo-os cuidadosamente no espaço ao redor da personagem. Todo o ambiente é minuciosamente preparado, trabalho que pode perdurar por até três dias. Segundo ela própria, desmontar é bem mais fácil e rápido, em cerca de uma hora tudo está em seu devido lugar.




Os fios visíveis vêm de encontro ao conceito defendido por ela: “Caso contrário, seria apenas uma foto fictícia ou fantástica, e eu não queria isso, queria uma conexão entre a realidade e a ficção”.
Seu objetivo é capturar a cena de forma que dê a sensação de um momento congelado no espaço e no tempo. O resultado oferece uma estética surreal, lúdica, delirante.  A cada imagem uma surpresa.




“Sempre me interessei pelos sonhos, sobretudo os momentos em que sonhamos acordados, quando nos perdemos em nossos próprios pensamentos, nos distraímos” - Cerise Doucède.

As personagens são clicadas como em um momento decisivo do pensamento. Em meio a devaneios em que a figura em questão apresenta uma expressão perdida, distraída, às vezes entristecida, mas que, ao mesmo tempo, sente-se bem em estar envolvida por suas próprias reflexões.




“Acho divertido ficar adivinhando sobre o que pensam as pessoas que passam na rua.” - Cerise Doucède.

Cerise Doucède encontra inspiração para suas obras em cenas do cotidiano e distrações do dia a dia. Seu estilo fotográfico ganhou espaço em campanhas publicitárias e conteúdos jornalísticos na Europa e pelo jeito, já está ganhando o mundo!




Quando vi as imagens, sem ler nada sobre o assunto, tive a sensação de que os objetos flutuantes eram o espelho do pensamento da pessoa no exato momento do clique fotográfico, mas quando prestei atenção na expressão envolvida, fiquei em dúvida. Quem fica com cara de “tô em outro planeta” pensando no café da manhã ou no jantar que vai comer? Então, imaginei que os objetos flutuando em torno da personagem representassem o momento “estou fora da realidade” -  estou tão dentro de mim mesmo que o mundo do lado de fora perdeu o foco.




Arte é assim. De um lado, o que o artista tirou de dentro dele para expor ao mundo e do outro, o que a gente recebe de dentro do nosso próprio universo, ao entrar em contato com o que o artista oferece.

A postagem de hoje foi sobre fotografia, um mundo novo para mim, mas do qual sou fã desde sempre. Se um dia eu aprender a tirar fotos razoáveis... estouro fogos...rs. Por hora, fico feliz em conhecer mais de quem nasceu com o dom de ver e traduzir, de um jeito singular e extraordinário , o que agente apenas “enxerga”.

Se você quiser conhecer as outras séries da fotógrafa Cerise Doucède é só clicar aqui.  

Beijos, beijos!!

Conteúdo inspirado no texto de Lucie Ferreira, da revista Docol Magazine (ano 6 – edição24 )

Diário de Obra

Por que contratar um profissional para sua obra?

abril 06, 2015

DIÁRIO DE OBRA

A presença do profissional na obra está crescendo cada vez mais. Aos poucos, o estigma de que arquitetos e engenheiros são profissionais de luxo e pouco justificáveis está perdendo espaço para a valorização de suas atuações, como um investimento bem empregado. Assim, contratar um profissional não significa apenas construir bem e garantir que você agora tem um produto valorizado, mas também evitará prejuízos com retrabalhos e correções. Apesar deste crescimento, ainda há muitas dúvidas.



O primeiro passo é entender o papel dos profissionais envolvidos, ou seja, ter consciência de qual instrumento cada um toca nessa orquestra enorme que é uma obra.

Arquiteto(a):  é o profissional que vai traduzir os seus sonhos em realidade. Entender o que você e sua família precisam e transformar seus desejos em estudos e projetos. Desenvolverá desde o projeto para a aprovação da Prefeitura até o executivo, que são os desenhos que irão para a obra, unindo todas as informações necessárias que possam vir de outros profissionais para complementar os já definidos.

Engenheiro(a): é geralmente mais requisitado para o projeto estrutural e de fundação, mas também pode responder pelos projetos hidráulico e elétrico.

Obs.: algumas responsabilidades podem ser desempenhadas por ambos, por exemplo:
- O processo de entrada na prefeitura;
- Os projetos de hidráulica e elétrica;
- O acompanhamento da execução da obra;
- O projeto arquitetônico (apesar do engenheiro não ter estudado tanto para esta etapa, quanto o arquiteto);
- O cálculo estrutural (para os arquitetos existe limite quanto ao porte da obra).

Vale salientar que depende do perfil de cada profissional. Na verdade, a tendência de um arquiteto ter uma formação mais próxima a de um engenheiro vem da universidade que cursou. Dentre as grades curriculares mínimas, algumas investem mais em humanas e outras em exatas.

Quanto à formação de engenharia, apesar dessa oferecer aprendizado sobre formas de projetar, não há aprofundamento nesse contexto; assim, o ideal é o arquiteto desenvolver o projeto arquitônico e o engenheiro o projeto estrutural.



Paisagista: que pode ter formação em agronomia, biologia ou não. Conhecedor das plantas e seu comportamento, desenvolve o projeto focado no tipo de vegetação, irrigação, drenagem, iluminação, preparo do solo e acompanha a execução. É importante lembrar que lidar com elementos vivos requer paciência e cuidado. As plantas precisam de tempo para adaptação e muitas vezes é a sua versão mais desenvolvida que dará ao jardim o perfil imaginado pelo paisagista.

Decorador(a): desenvolve projetos e soluções em ambientes já construídos que podem ser residenciais ou corporativos quanto a mobiliários, tecidos, cortinas e demais elementos decorativos. Não tem autorização para alterar elementos construtivos, elétrica e hidráulica, mas podem rever acabamentos.

Obs.: Alguns profissionais de arquitetura também trabalham nesse nicho de atividade (como eu...rs).

Agora que você já tem uma ideia melhor estruturada sobre os profissionais envolvidos na obra é importante também compreender qual o momento de procurar um.

Quando você decidiu construir a sua casa, já deu de cara com a primeira dúvida: como escolher o terreno? Como avaliar se as opções disponíveis são realmente interessantes para o que você quer como resultado final? Será que aquele terreno que você tanto gostou é o melhor? É agora que o despertador toca e avisa, é chegada a hora de escolher um profissional. Nesse momento, o projeto já começa a nascer, pois são as facilidades ou complicações que o terreno oferece que moldarão uma bela parcela do conceito do projeto.

Analisar a localização, insolação e topografia são de suma importância. Estudar a interferência de outras construções e até mesmo as leis de zoneamento é parte do processo para avaliar o melhor aproveitamento da área disponível. Portanto, ter um profissional ao seu lado, nesta primeira etapa, pode garantir seu investimento e evitar futuras dores de cabeça.

E afinal de contas, porque contratar um profissional?

Já é comprovado que investir em um profissional para desenvolver o projeto e acompanhar a obra fica mais barato que surfar nessa onda sozinha(o) e desacompanhada(o). Ter quem entenda e visualize o processo de forma globalizada garante planejamento, ou seja, evita desperdício de material, tempo e erros na execução. Refazer é caro e leva para longe muito dinheiro que deveria estar sendo investido em escolhas de qualidade.

Conhece o ditado “o barato sai caro”? Pois é, seguindo a linha de avaliação quanto ao “custo beneficio”, ter ajuda na obra é mais seguro e econômico que investir às cegas, o que muitas vezes, pode até dobrar o investimento previamente disponibilizado, situação muito comum em se tratando de obra. E por último, mas não menos importante, o profissional vai traduzir suas necessidades e garantir que sejam atendidas.

Pense e avalie, estude e pesquise, converse com quem construiu sem ajuda e com quem contratou um profissional. Valorize seu investimento, mas o mais importante, esteja segura(o) de sua escolha.

Dúvidas? Sugestões para futuras postagens? Deixe nos comentários.

Beijos, beijos

A Lista dos temas já postados do " Diário de Obra":

01- Diário de obra – Introdução 
02- Por que contratar um profissional para sua obra? (você está aqui)




Decoração

Mesa para o domingo de Páscoa

abril 03, 2015

DECORAÇÃO

Olá pessoas, ontem postei sobre algumas dicas para incrementar a decoração e a diversão do domingo de Páscoa (leia aqui). Hoje, como havia prometido, é o dia da mesa! Ahhh!!! É a parte que mais curto. Adoro arrumar uma mesa e já me confessei sobre isso algumas vezes por aqui. Mesa de café da manhã, almoço, jantar, reunião, festa... Até a sobrinha sabe que a titia é faz tudo da decoração em casa. Deixou-me de calça curta no domingo de Páscoa do ano passado! Arrumei tudo à noite, de luz apagada para ela não ver, no dia seguinte, quando acordou e viu aquela belezura, já mandou a queima roupa: “foi a titia que fez?” rsrsrs. Pulei miudinho e disse que não, tinha sido o coelhinho (ah tá... pensou ela!). A gente se esforça para manter viva a fantasia dessas pessoinhas miniaturas, mas às vezes, elas nos surpreendem! Ui!



Mas, vamos deixar a prosa de lado e começar as dicas de hoje!!

O principal e mais importante, como sempre, é gastar pouco ou quase nada. Neste caso, pouco, já que doces e chocolates não são exatamente produtos de 1,99! E hoje ainda esta pior

Como não tenho imagens do processo, pois nessa época não imaginava utilizá-las para o blog, vou destrinchar a decoração por item:


01- A toalha xadrez comprada em loja de tecido, não custou nem dez reais o metro! Na verdade, ela foi feita para uma mesa de oito lugares, mas para tudo dá-se um jeito e dobrada, nem parece que é maior do que deveria! Vocês verão muitas toalhas desse tipo por aqui, adoroooo xadrez colorido, e o rosa foi a escolha de 2014!

02- Os coelhos são meus, presentes da avó que virou estrelinha (leia aqui) e que ficam muito bem guardados junto com outros amiguinhos (valor emocional) e que já foram personagens de muitas decorações desde que a sobrinha nasceu. São os nossos coelhos tradicionais para a Páscoa...hehe. 

03- O cesto enorme é velhinho que só, mas é tão útil que ninguém se atreva a dar fim. Já foi usado em diversas decorações e eu sempre tenho uma boa ideia para ele. Dessa vez,  organizou os ovos e doces que cada um iria dar para o outro (luxo que esse ano não vai rolar) e funcionou bem para dar volume para o fundo da mesa. Dentro dele prendemos um tecido de pelúcia, meio metro foi o suficiente e a alça, encapei com a fita marrom de poá rosa.

04- O vaso rústico, com galhos secos e trouxinhas de mini ovos amarrados com lacinhos de fita cor de rosa, ajuda a dar o volume de fundo junto com a cesta. O maior trabalho foi amarrar as trouxinhas nos galhos com a fitinha. Adivinha quem ficou amarrando o dedo um tempão? Rsrs.

05- Os brigadeiros, sob encomenda, feitos por uma amiga da família que produz docinhos enlouquecedores e que já são tradicionais aqui em casa, deram um ar de festa (que criança não gosta de brigadeiro?). Até eu que não posso, acabo pecando, oh tentação!

06- Os marshmallows coloridos foram desejo da avó para colorir a mesa... só eu comi! Mas, valeu só para ver os olhinhos brilhantes da sobrinha, que até experimentou, mas acho que o paladar dela ainda não estava preparado para isso! Quem sabe um dia! Ela mandou bem nas gominhas, decoradas apenas com um laço rosa de poá marrom.

07- Os três vidros com bolinhas de chocolate também são nossos velhos conhecidos. Em cada festa ou comemoração, uma nova roupagem. Aqui, um laço em cada um, em alturas diferentes para fugir do óbvio. 

08- O bolo de cenoura com cobertura de chocolate. Meu eterno vício! Tá vendo a mordidinha? Foi o coelho! Quando passou para esconder os ovos, deu uma dentada no bolo, de tão bom!!!! Eita coelho sapeca!

 Por hoje é isso. Espero que vocês tenham gostado. Faço essas coisas com muito carinho e muito prazer também e agora, posso dividir com vocês. Prometo que vou melhorar em relação à quantidade de fotos, estou trabalhando isso dentro da minha pessoa, pois confesso, eu esqueço gente, pode isso? Envolvo-me com o momento e deleto o flash da mente. Mas... eu chego lá!

E para encerrar, desejo a todos uma ótima Páscoa. Um domingo de confraternização, amor, trocas positivas e momentos especiais! 

Beijos, beijos!!

DIY

Coelhinho da Páscoa que trazes pra mim!

abril 02, 2015

DIY - FAÇA VOCÊ MESMO

O coelhinho está chegando! Dia de Páscoa é, além de todo o conteúdo religioso e histórico: dia de fantasia, encanto e doçura. Quem nunca fez patinhas pela casa para a caça aos ovos de chocolate deixados pelo senhor coelho? De farinha ou de papel colado no chão, o faz de conta é elemento fundamental para a festa de domingo. Acordar logo cedo com o café da manhã especial e a casa toda arrumada para a surpresa é muuuuito bom e mais que isso, é motivo para juntar a família e se divertir, claro, afinal, a sobrinha espertíssima vai aprontar ou dizer alguma pérola para coroar o dia.




Aqui em casa é tradição, todos os anos fazemos o café da manhã caprichado, com mesa bem arrumada e cheia de guloseimas. Mas, depois que a coisa fofa da titia nasceu, o esquema ficou mais complexo e as patinhas, orelhas e mesas de chocolate passaram a povoar minhas noites (e as da avó da sobrinha) com pesquisas e criações. Pensar o que fazer, como fazer e o que usar é nossa tarefa intransferível. O resto da família... ajuda.




Hoje e amanhã vou postar sobre algumas ideias que já utilizei para o dia de Páscoa. Mesa decorada, orelhas de coelho, patinhas de papel e bexiga com mascara. As orelhas e as patinhas foram utilizadas em 2013 e a mesa é de 2014.

Primeiro as patinhas: 

-Simplifica, que simples fica (como dizia o professor de física)! Entra na internet e procura o estilo e tamanho que mais te encantar. Imprime e recorta! Pronto!!! O trabalho maior é colar um rolinho de fita crepe em cada um...rsrs. Se você tiver um skate em casa, senta nele e manda ver!!! Trabalhar sentada no chão foi um desafio e tanto, mas valeu o esforço! Montamos vários ninhos espalhados e escondidos pela casa, para que ela encontrasse os ovos. Com dois aninhos, ela se encantou e emocionou todo mundo!


As orelhas de coelho:

Material: Tiaras de plástico baratas, E.V.A. com textura (usamos o branco), palitos de churrasco (corte as pontas para não machucar), cola quente e fita adesiva. 

- Em um papel crie o formato e o tamanho da orelha (se quiser imprimir algo que achou na net, também vale!), transfira o desenho para o verso do EVA (lado liso) e recorte.

- Deixe um pedaço na base da orelha para virar na tiara.

- Cole o palito na orelha e depois a orelha na tiara com cola quente e finalize com fita adesiva para “ajudar”. 

- Atenção para que as duas orelhas fiquem com a mesma a altura e pronto! Facim, facim!!!

- O acabamento ficaria bem melhor se tivéssemos feito o verso também, mas esse E.V.A. texturizado é bem carinho, por isso, compramos o mínimo possível.



Bexiga com mascara de coelho:

Gente, dessa beldade eu não tenho foto, procurei e nada de encontrar. Uma pena, mas não quero deixar de postar, então... vamos exercitar a imaginação! Escolhi bexigas cor de rosa, a cor da decoração naquele ano. Havíamos comprado algumas mascaras de coelho (essas da foto mesmo) e como vieram lacradas em saquinhos, não tinha como levar uma ou duas, por isso, muitas iriam sobrar (a ideia principal era todos usarmos as mascaras para brincar com a lindeza da tia). Olhei para aquilo tudo e pensei, que tal fazermos bexigas com mascaras de coelho? (...hein??....)É simples, assusta não!!!

- Encha a bexiga e cole a mascara com fita crepe, com as orelhas do mesmo lado que o nó (onde você amarra o barbante).

- Com uma caneta “marca CD” desenhe os olhinhos dentro da mascara, focinho, boca e bigodes... prontooooo! Ói que bába!!!!

- Pendure outras bexigas sem a mascara junto dessa, e faça grupos para espalhar pela sala ou pela casa (uma desenhada e três lisas, por exemplo).

Dica: Para um resultado suave, você pode misturar cores próximas de bexigas e mascaras.



Curtiu? Espero que tenha inspirado você a mergulhar no mundo faz de conta e aproveitar com os pequenos um momento que, com certeza, ficará na memória deles. Infância é bom demais e parte dela é “culpa” sua!!!rs. 

Beijos, beijos!!!

Ôh de Casaa!! Store

Manifesto

Manifesto
Comprar de quem faz...

Instagram